PL que pede detectores de metais em escolas de Salvador é protocolado

Medida considera ataques em escolas que tem acontecido no país

  • D
  • Da Redação

Publicado em 11 de abril de 2023 às 17:26

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Divulgação

Um projeto de lei foi protocolado na Câmara Municipal para instalação de portais com detecção de metais em todas as unidades. O autor da proposta, vereador Átila do Congo (Patriota) classifica a medida urgente “diante do cenário de medo após ataques em escolas no país”. 

De acordo com a proposta, será concedido o prazo de 180 dias ou o período letivo escolar, prevalecendo o que primeiro ocorrer, a partir da entrada em vigor desta Lei, para que todas as escolas municipais que se enquadrarem nos critérios estabelecidos.

Átila lembra ainda que a ferramenta será um apoio na prevenção de episódios de risco, mas que o combate a essa violência é uma parceria, especialmente, com os familiares dos menores. “Sejamos vigilantes também dos nossos pequenos. É obrigação realizar uma inspeção visual dos pertences de cada um, em meio à essa onda de insegurança. Quando for identificado um comportamento estranho, que esses responsáveis também se comuniquem com a comunidade escolar. Precisamos criar uma rede de apoio para enfrentar a violência e fazer com que a escola volte a ser um abrigo de crescimento e paz para nossos jovens”.

Nesta terça (11), também foi protocolado na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) um projeto que propõe a obrigatoriedade na instalação de portais de detecção de metais no acesso às unidades públicas de ensino da Bahia. 

Programa Ronda Preventiva Escolar

Outra proposta apresentada pelo parlamentar sugere a atuação da Guarda Civil Municipal (GCM) no Programa Ronda Preventiva Escolar – ROPE das instituições de ensino da capital baiana. Caso seja aprovado, o PL vai auxiliar a intensificar o patrulhamento preventivo contra casos de violência. 

No texto, o parlamentar Átila do Congo indica também que, além da ronda, os guardas poderão ministrar palestras educativas e preventivas na área de combate ao uso de drogas indevidas e/ou substâncias entorpecente para os jovens. “Ter a orientação de profissionais que saem todos os dias para arriscar suas vidas, no intuito de proteger os cidadãos, é uma ótima forma de inspirar crianças e jovens a percorrem o caminho do bem e da vida. A ronda entrará com a parte de coibir a criminalidade e proporcionar mais segurança para a comunidade escolar”.