Polícia confirma que engenheiro de som morto no Saboeiro reagiu a assalto

Engenheiro segurou arma do assaltante, segundo a polícia; carro utilizado no latrocínio é o mesmo que aparece no vídeo divulgado na quarta (14)

Publicado em 16 de outubro de 2015 às 17:27

- Atualizado há 10 meses

A Polícia Civil confirmou, na manhã desta sexta-feira (16), que o engenheiro de som Fernando Gundlach, de 62 anos, reagiu ao assalto que resultou em sua morte. A informação foi passada durante apresentação de Leslie Wallace de Jesus Santos, 23 anos, e Danilo Lima Sena, 25, suspeitos de participarem do latrocínio. Os dois negam qualquer envolvimento. A polícia, entretanto, apresentou diversas evidências.(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)"Testemunhas que nós ouvimos informaram que a vítima teria reagido, esboçado uma reação. Eles (os assaltantes) pediram o celular, a mochila e foram revistar. Nesse momento a vítima teria segurado a arma. É quando Wallace recua e efetua o disparo", relatou a delegada titular da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), Francineide Moura, que liderou as investigações. O assalto aconteceu no dia 4, no bairro do Saboeiro. O engenheiro morreu no hospital, na tarde do dia seguinte.  

De acordo com a polícia, o carro utilizado pelos assaltantes no latrocínio do engenheiro é o mesmo que aparece em vídeo divulgado na quarta-feira (14). No vídeo, capturado pelo circuito de segurança de um prédio que fica próximo ao fim de linha de Luís Anselmo, Wallace e Danilo aparecem tentando roubar um veículo.(Foto: Reprodução/Facebook)Eles estão a bordo de um Palio Weekend prata, placa JSS-9180. Testemunhas ouvidas pela polícia reconheceram os dois e também o veículo. Danilo e Wallace confirmaram que são eles no vídeo. O proprietário do carro, roubado em Piatã no dia 2, reconheceu Wallace. Outra evidência apresentada pela polícia foi o testemunho de um casal, assaltado momentos antes do engenheiro Fernando.

"Antes de balearem a vítima (Fernando) eles abordaram um casal no Saboeiro. Esse casal foi para a delegacia, prestou declarações e ajudou a fazer um retrato falado. Essas pessoas foram ouvidas ontem (15) e confirmam o envolvimento de Wallace no crime", contou a delegada Francineide. A delegada comentou ainda que mais de dez testemunhas foram ouvidas. "Era um domingo de manhã, estava movimentado no local, tinha bar aberto", disse.Wallace e Danilo têm antecedentes criminais. Danilo já foi preso por tráfico de drogas. Ele, que é açougueiro desempregado, nega que tinha envolvimento com tráfico. "Me pegaram com 25 gramas de maconha e já falaram que foi tráfico", afirmou. Wallace tem passagem por crimes contra o patrimônio. Segundo Dermeval Amoedo, delegado titular da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV), outros oito roubos estão associados a um dos dois.Os dois negaram terem participação no latrocínio do engenheiro, que ainda teria um terceiro envolvido, que dirigia o carro. "Eu não tava nisso aí não, só assumo o meu. Eu só tava nisso de Luís Anselmo, que tem o vídeo. Tô aqui de laranja, laranjada isso aqui", reclamou Danilo.

"Só fiz o assalto (do vídeo) porque estava precisando de dinheiro, para pagar meu aluguel", completou. Wallace pouco falou além de negar o crime. "Eu não tava no Saboeiro, não matei ninguém. Eles dizem que tem prova, vão ter que provar", desafiou. Segundo Danilo, ele passou o domingo, dia do crime, em casa com a esposa. Já Wallace afirma que participava de um campeonato de futebol no Nordeste de Amaralina.

De acordo com a delegada Francineide, o vídeo divulgado na quarta-feira (14) foi essencial para a prisão dos suspeitos, na tarde de quinta (15). "Nós chegamos a eles após a divulgação das imagens na ultima quarta-feira. Pessoas que os identificaram passaram informações. Já tínhamos um trabalho de investigação e conseguimos prendê-los", relatou. Segundo a polícia, os dois foram presos no bairro onde moravam, Nordeste de Amaralina. Após investigações e informações passadas pelo Disque Denúncia, equipes da Polícia Civil prenderam os dois.A dupla, que já tem prisão preventida decretada, ficará na carceragem do Complexo Policial da Baixa do Fiscal, até que todos os procedimentos referentes aos novos inquéritos, relativos aos outros roubos, sejam finalizados. Em seguida, serão encaminhados ao Complexo Penitenciário da Mata Escura.O terceiro envolvido no latrocínio, o motorista, permanece sem identificação. A polícia pede que pessoas com alguma informação liguem para o Disque Denúncia, no número (71) 3235-0000.

[[saiba_mais]]