Anarriê: Cajazeiras realiza seu 1º encontro de forró pé de serra

Quinze atrações se apresentam no Mercado Municipal

  • Foto do(a) author(a) Bruno Wendel
  • Bruno Wendel

Publicado em 1 de junho de 2024 às 19:19

Cajazeiras tem seu 1º Encontro de Forró
Cajazeiras tem seu 1º Encontro de Forró Crédito: Bruno Wendel/CORREIO

No palco, a sanfona, a zabumba e o triângulo marcam os passos. Do outro lado, os casais acompanham com o tradicional "dois prá cá, dois pra lá". E é assim, que acontece o 1° Encontro de Forró de Cajazeiras, que começou na tarde deste sábado (01), no Mercado Municipal, em Cajazeira X.  São 15 atrações que fazem o arrasta-pé de moradores e comerciantes da região neste moment no Teatro Boca de Brasa.

" O forró raiz é o vamos apresentar aqui hoje. Estamos preservando a nossa cultura, porque o forró traz consigo a história da luta do nosso povo, fala de amor, política, é a cultura de um povo sofrido cantada”, declara Evanir Borges de Araújo, presidente da Associação de Arte e Cultura Social de Cajazeiras (Cajaarte), responsável pelo festival.

Além de resgatar o forró na comunidade, o evento vai premiar as melhores atrações da edição, escolhidos pela planteia, com R$ 1 mil para o primeiro lugar, R$ 500 para o segundo e R$ 250 para o terceiro. “É uma forma que encontramos também de estimular os artistas no do bairro. Aqui, em Cajazeiras, tem muito zabumbeiro, sanfoneiro. Cada um deles é um pai de família que vive de sua arte”, diz Evanir.

Vocalista do Laranjeira do Norte, Gene Silva destacou a importância do gênero que nasceu no sertão tem para a educação dos jovens da região. “É dá pra eles uma outra opção de estilo musical. Aqui é a predominância é o pagode e o arrocha, mas tem também os paredões, que estimulam a violência. É por isso que queremos propagar o forró na comunidade, que pode ser um instrumento de libertação”, diz Gene, que também participa do festival.

Mas antes do forró, a plateia aproveitou um sambinha com as Sambadeiras de Cajazeiras, que fizeram as honras da casa, por volta das 16h. Às 17h, subiu ao palco o Forró do Jaizinho. Quem estava sentado, levantou-se e caiu no arrasta-pé. Os casais foram os mais diversos: tinha marido e mulher, namorado e namorada, vovó e vovô e vovó como vovó - só não podia é ficar parado.

Os mais tímidos, preferiam só apreciar, mas não esconderam a satisfação. “Forró já é bom e aqui em Cajazeiras é melhor ainda”, diz a artesã Luzia Chaves. “É maravilhoso, distraia a nossa mente, porque o forró é só o amor”, completa a cuidadora de idosos Sônia Regina.

E momentos antes de se apresentar, Ana da Bahia, falou sobre a emoção de participar do 1° Encontro de Forró de Cajazeiras. “É realizar um sonho. Às vezes buscamos um espaço e nunca encontramos. Estou bastante maravilhada. Espero que sirva de exemplo para que possamos ter cada vez mais lugares para se apresentar, não só no período junino, mas o ano todo porque o forró é atemporal”, declara.

O  evento será encerrado às 21h, com o resultado dos vencedores do concurso. 

O Projeto São João 2024 é uma realização do jornal Correio com apoio da Sicoob.