Bahia tem 122 casos confirmados da varíola dos macacos 

Salvador é o município que concentra a maior parte dos casos confirmados, totalizando 81 doentes

Publicado em 18 de outubro de 2022 às 18:34

. Crédito: Foto: Divulgação/Sesab

O número de casos confirmados da varíola dos macacos na Bahia chega a 122. Segundo o Boletim Epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), atualizado nesta terça-feira (18), no estado ainda há 26 casos prováveis e mais 388 suspeitos. Desde a primeira notificação, foram descartados 1,743 mil casos da doença.

Salvador é o município que concentra a maior parte dos casos confirmados, totalizando 81 doentes. Em seguida aparece Feira de Santana com sete casos, Conceição de Feira, Vitória da Conquista e Lauro de Freitas, com quatro casos em cada. 

Há casos confirmados em Porto Seguro (3), Conceição do Coité (2), Maracás (2) e Santo Antônio de Jesus (2). Antas, Cairu, Castro Alves, Conceição do Almeida, Conceição do Jacuípe, Ilhéus, Irecê, Itabela, Juazeiro, Mutuípe, Pé de Serra, Teixeira de Freitas e Xique-xique registraram um caso, cada.

O primeiro caso no estado foi registrado em 13 de julho. O paciente era morador de Salvador e procurou um hospital particular com sintomas como febre alta, adenomegalia - inchaço nas glândulas do pescoço - e erupções no corpo. Depois, ele foi encaminhado para isolamento domiciliar. 

A doença, também chamada de monkeypox, é uma zoonose viral que se assemelha à varíola humana, erradicada em 1980. Ela tem sintomas como febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, adenomegalia, calafrios e exaustão.

A infecção é autolimitada com sintomas que duram de 2 a 4 semanas, podendo ser dividida em dois períodos: invasão, que dura entre 0 e 5 dias, com febre, cefaleia, mialgia, dor das costas e astenia intensa. A erupção cutânea começa entre 1 e 3 dias após o aparecimento da febre e tem características clínicas semelhantes com varicela ou sífilis, com diferença na evolução uniforme das lesões.