Mulher pula do primeiro andar para fugir de agressão do companheiro

salvador
12.01.2018, 08:28:50
Atualizado: 12.01.2018, 17:07:21

Mulher pula do primeiro andar para fugir de agressão do companheiro

Casal morava junto há quatro anos no bairro do Doron

Na tentativa desesperada de fugir das agressões do companheiro, Gilvan Ribeiro dos Santos, 35 anos, a doméstica Laísa de Almeida dos Santos, 22, se jogou, na noite desta quinta-feira (11), do primeiro andar da residência em que morava com o agressor, no bairro do Doron, em Salvador.

A vítima, que já havia sido espancada antes de tentar fugir, foi socorrida pelo próprio Gilvan para o Hospital Geral do Estado (HGE) - onde permanece internada em estado estável. 

Ferida no braço esquerdo, pernas e com escoriações no quadril, Laísa relatou aos policiais da unidade de saúde que convivia com o agressor há quatro anos. "A vítima informou que estava no interior da residência quando foi covardemente agredida. Para tentar se livrar de mais agressões, se jogou do primeiro andar e caiu sobre um portão de ferro", diz o boletim de ocorrência do HGE. 

Policiais da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) foram acionados e conduziram Gilvan, além de testemunhas, para a sede da unidade, no bairro de Brotas. Não há informações, porém, sobre se o agressor foi ou não autuado em flagrante pela Lei Maria da Penha.

Amigo de Laísa, o pedreiro Ednaldo dos Santos, 33, afirmou que já havia advertido a doméstica acerca dos riscos que corria ao lado de Gilvan. "Eles sempre têm essas brigas. Geralmente, por causa dos ciúmes dele. Ele é até uma pessoa tranquila com os outros, mas com ela, no relacionamento, não dá mais certo", afirmou Ednaldo, que acompanha a vítima no hospital.

Ainda conforme o pedreiro, a amiga garantiu que não quer mais continuar convivendo com Gilvan.

"Ela não está trabalhando atualmente, então, depende muito dele. A família dela é do interior, isso dificulta para ela, não sei como vai ser agora", comentou ele.

Ednaldo acrescentou que ligou para familiares da vítima esta manhã para avisar do crime. Laísa é natural de Piraí do Norte, no Baixo Sul do estado. O filho de Gilvan, que tem menos de 18 anos e passava alguns dias com o pai, presenciou a agressão, de acordo com Ednaldo.

Procurada pelo CORREIO, a titular da Deam, delegada Heleneci Nascimento, informou que Gilvan foi conduzido ainda na noite de quinta-feira para a Central de Flagrantes, pois não havia delegado na unidade especializada. Ela explicou que o agressor deve passar por audiência de custória nesta sexta e que só no final do dia a Polícia Civil vai ser informada da decisão da Justiça.