Salvador é a cidade ideal para desenvolvimento da economia criativa

Tema foi debatido em painel no Agenda Bahia, nesta sexta-feira (11)

  • Foto do(a) author(a) Maysa Polcri
  • Maysa Polcri

Publicado em 11 de agosto de 2023 às 16:18

Painel discutiu economia criativa
Painel discutiu economia criativa Crédito: Paula Fróes/CORREIO

Que Salvador é uma cidade que respira cultura todo mundo sabe. Mas como aproveitar o potencial criativo dos moradores da capital baiana e transformá-lo em negócios lucrativos? Esse foi um temas debatidos no Agenda Bahia, que acontece no Senai Cimatec, nesta sexta-feira (11).

Com a participação da chef Tereza Paim, o maestro Carlos Prazeres, o secretário de Cultura e Turismo Pedro Tourinho, e mediação do presidente da Fundação Gregório de Mattos Fernando Guerreiro, o painel "Economia Criativa" ampliou o diálogo sobre as formas não tradicionais de fazer negócios.

Diferente da economia convencional, o ponto chave da economia criativa é levar em consideração os potenciais intelectuais dos indivíduos. Ela pode ser colocada em prática nos mais diversos setores, como a culinária, música, artesanato e muito mais.

"Precismos entender que Salvador possui uma linguagem própria e isso é o nosso grande capital da economia criativa. Não estamos fazendo economia criativa em um local sem patrimônio e fisionomia, a capital baiana é riquíssima", disse Fernando Guerreiro.

O Agenda Bahia 2023 é uma realização do CORREIO, com patrocínio da Unipar, apoio institucional da Prefeitura de Salvador, FIEB, Sebrae e Rede Bahia, apoio da Wilson Sons, Salvador Bahia Airport, Suzano, Sotero, Solví, Salvador Shopping Online, Deloitte e 4events e parceria da Braskem, Rede+ e Latitude 13 Cafés.