Ato na Ufba nesta quinta presta homenagem a professor assassinado

O objetivo do ato é homenagear e relembrar a vida e atuação profissional e militante de Marcus, que foi um dos nomes de referências para a psicologia do Brasil

Publicado em 17 de fevereiro de 2016 às 16:27

- Atualizado há 10 meses

(Foto: Reprodução)Um ato em homenagem ao professor Marcus Vinícius de Oliveira Silva, conhecido como Marcus Matraga, acontece nesta quinta-feira (18) às 17h no salão nobre da Reitoria da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Psicólogo e professor aposentado da Ufba, Marcus foi assassinado no início de fevereiro no interior da Bahia. 

O objetivo do ato é homenagear e relembrar a vida e atuação profissional e militante de Marcus, que foi um dos nomes de referências para a psicologia do Brasil, defensor dos Direitos Humanos e nome de destaque na luta antimanicomial e reforma psiquiátrica na América Latina. A cerimônia será aberta ao público, com limite apenas da lotação do salão.

CrimeO assassinato do professor aposentado Marcus Vinicius de Oliveira Silva, 57 anos, da Universidade Federal da Bahia (Ufba) pode ter sido provocado pelo envolvimento dele com disputas de terra.

Segundo a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) informou em nota a morte de Marcus Matraga, como era conhecido, ocorreu “em função de sua atividade política na mediação de conflitos de terras indígenas”, diz a nota.

A Abrasco também cobrou a investigação do crime. “Manifestamos a nossa profunda preocupação com os casos de assassinatos, agressões e expulsões relacionados aos conflitos por terras indígenas na Bahia e, por fim, exigimos que o Ministério da Justiça atue na apuração desse crime político”, diz a nota. 

[[saiba_mais]]A Ufba também sugeriu em nota que a morte pode ter sido “em função de sua atividade política na mediação de conflitos de terra, em circunstâncias a ser apuradas pelas autoridades competentes”, diz a nota. A Polícia Civil não confirma a informação, mas não descarta a hipótese. Segundo o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, o crime foi premeditado e pode ter relação com processos litigiosos em que o professor estava envolvido. A informação foi divulgada durante entrevista no Comando Geral da Polícia Militar, no Largo dos Aflitos. “Já colocamos equipes especializadas no caso e temos algumas linhas de investigação de que, efetivamente, foi um crime premeditado e estamos investigam do se a motivação foi em decorrência a algum processo judicial litigioso, no qual fazia parte, ou se tem outra coisa em relação. É prematuro afirmar alguma coisa agora”, afirmou Barbosa no último dia 6.