Antes de julgamento do STF, Temer se reúne com AGU e ministro da Justiça

Presidente pediu para rebaterem críticas ao governo

Publicado em 13 de setembro de 2017 às 14:01

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Marcos Corrêa/PR

O presidente Michel Temer reuniu-se com o ministro da Justiça, Torquato Jardim, e a advogada-geral da União, Grace Mendonça nesta quarta-feira, 13, horas antes de julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) de recursos em sua defesa contra o Ministério Público Federal e a delação da JBS.  Eles foram recebidos separadamente pelo presidente no Palácio do Planalto, conforme agenda divulgada pela Secretaria de Comunicação Social. Temer também recebeu em seu gabinete o ministro Osmar Terra, do Desenvolvimento Social. O presidente tomou café da manhã com líderes da base aliada da Câmara dos Deputados e ministros no Palácio da Alvorada. Temer tem audiência no período da tarde com o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, e o líder da maioria na Câmara, Lelo Coimbra (ES), ambos do PMDB.

O presidente pediu aos parlamentares para rebaterem as críticas feitas ao governo.

Compareceram ao café 19 ministros e 17 parlamentares. Em sua apresentação, o presidente comparou dados de antes do início de seu governo com os dos dias atuais, com melhora em itens como a inflação, os juros, o emprego, a produção industrial, com destaque para a produção de veículos. Temer pediu aos parlamentares que apresentem esses dados positivos da economia a suas bancadas no Congresso e acrescentem as previsões de melhora esperadas.

Durante o discurso inicial no encontro, Temer disse os parlamentares que incentivem deputados e senadores a fazerem um “discurso de rebate” e não se aquietem quando ouvirem críticas. “Muitas vezes vejo que a pessoa vai para um lugar, ouve uma coisa negativa e se aquieta, fica em silêncio. Não pode se aquietar. Vejam nosso exemplo, não nos aquietamos. Porque pensamos, enquanto as pessoas vão protestando, a caravana vai passando porque nosso objetivo é governar, pensar no Brasil. E é esse o legado que queremos deixar”, disse.

Com relação às reformas em tramitação no Congresso Nacional, Temer disse que pretende fazer outros encontros com os parlamentares para discutir a simplificação tributária e também a reforma da Previdência, que, segundo ele, será levada adiante. “As pessoas já começam perceber que é fundamental fazer-se uma reforma agora e, certa e seguramente, fazendo-a agora, ainda será preciso daqui a três, quatro anos, fazer uma atualização”.

Ao deixar o Palácio da Alvorada, o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, disse que com os dados sobre a economia o presidente mostrou aos parlamentares que o Brasil está em um outro rumo. Quintella lembrou a busca de apoio no Congresso Nacional para a aprovação das reformas. “O governo pediu apoio ao Congresso Nacional para dar sequência às reformas. Mostrou os benefícios que as reformas que já foram feitas trouxeram ao país e a necessidade que temos de tocar a simplificação do nosso sistema tributário e também a reforma da Previdência”, disse.

Além deles, consta como compromisso presidencial uma reunião com o senador Cidinho Santos (PR-MT), o deputado Alexandre Baldy (PODE-GO) e Donizete Tokarski, diretor superintendente da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio).