Em delação, Palocci afirma ter entregue dinheiro vivo à Lula

Segundo o ex-ministro, pagamento, entregue em pequenos pacotes, era fruto de propina da Odebrecht

Publicado em 15 de setembro de 2017 às 12:05

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Agência Brasil

Embora a delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci ainda não esteja homologada, o seu conteúdo já começou a ser vazado. A "Revista Veja" publicou na manhã de hoje (15/9) em seu site alguns dos trechos da declaração. No documento, o ex-ministro afirmou ter entregue dinheiro vivo ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva em pelo menos cinco encontros diretos.

O pagamento era feito pessoalmente por Palocci, em pequenos pacotes de R$ 30 mil, R$ 40 mil e R$ 50 mil. Os valores são fruto de propina da Odebrecht e, segundo o ex-ministro, eram gastos por Lula em despesas pessoais. O dinheiro era descontado da "conta-propina" que a empreiteira mantinha para o ex-presidente, conforme garantiu o novo delator da Lava Jato, o primeiro petista.

O repasse foi realizado em pelo menos cinco encontros diretos.Palocci relatou que quantias superiores eram repassadas a Lula através do sociólogo Branislav Kontic, que era responsável pelo transporte e entrega da propina no Instituto Lula, em São Paulo.

Instituto Lula

Segundo a delação de Palocci, Lula desviava o dinheiro recebido das doações feitas ao Instituto, que, por sua vez, mantinha uma contabilidade paralela para acobertar os desvios feitos pelo ex-presidente. A quantia desviada era utilizada em gastos paticulares pela família e pelo próprio Lula. 

A conta ilícita, ainda segundo o ex-ministro, era administrada pelo presidente da organização, Paulo Okamotto, que nega qualquer irregularidade durante o seu comando à frente do Instituto.