Filha de Lula vira secretária em governo a que PT faz oposição

Filha do presidente é secretária de Ação Social em São José (SC)

Publicado em 7 de janeiro de 2009 às 09:15

- Atualizado há 9 meses

Lurian Cordeiro Lula da Silva, filha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, é a nova secretária de Ação Social do município de São José, região metropolitana de Florianópolis.

Ela assumiu o cargo no dia 2 de janeiro e licenciou-se do PT, que na cidade faz oposição ao prefeito Djalma Berger (PSB). O afastamento, diz, é temporário - será apenas enquanto fizer parte da administração municipal.

“Recebo um monte de petistas aqui, ‘Lurian, você precisa de alguma coisa, Lurian, quer que eu te oriente?’. A minha relação com o PT continua a mesma, cada vez melhor. Não rompi com o partido”, afirma.

A filha de Lula, que assumiu um cargo público pela primeira vez, diz que o parentesco não irá influenciar sua gestão.

“Tenho meus méritos, então não posso me subestimar de achar que estou aqui só porque sou filha do Lula. As portas que eu conseguir abrir no governo federal não vai ser só porque eu sou filha do Lula, vai ser porque tenho uma boa relação com as pessoas, consigo me dar bem com todo mundo, inclusive com os opositores”, diz.

Ela ressalta que “está” filha do presidente, cujo mandato termina em 2010. “Acho que o Patrus (Patrus Ananias, ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome) vai atender a um pedido meu como ele vai atender ao de qualquer secretário municipal de ação social. Quando tiver que dizer sim, ele vai dizer sim, quando tiver que dizer não, ele vai dizer não.” 

Lurian conta que, em 2003, foi voluntária em uma ong que divulgava projetos do Conselho de Segurança Alimentar. 'Durou sete meses, aí fui seguir minha vida de jornalista', diz. Ela e Djalma Berger se conheceram há alguns anos por meio do marido de Lurian, que trabalha com uma deputada estadual do PT.

O prefeito diz acreditar que ela terá um “patrulhamento” maior por ser filha do presidente. “Ao mesmo tempo em que ela provavelmente vai ter facilidades de relacionamento, de encaminhamento de ações junto ao governo federal, também vai ser uma pessoa que vai ter um patrulhamento bastante intenso”, afirma. 

Lurian já foi candidata a vereadora. Disputou uma vaga na Câmara Municipal de São Bernardo em 1996. 'Peguei a terceira suplência, tinha 21 anos, meu pai não era presidente, não tinha dinheiro pra fazer campanha, andava a pé, tive 1.600 votos.'

Segundo ela, suas pretensões políticas acabaram aí. 'Meu negócio são bastidores. Ser secretária é um trabalho de bastidor. Estou no bastidor ajudando o Djalma, ajudando o município', diz.

Uma das primeiras ações da secretaria de Ação Social será a implantação do “cartão cidadão”, um programa para substituir as cestas básicas distribuídas para a população.

(As informações são do G1)