Ibope revela que rejeição aumentou entre possíveis candidatos à presidência; 55% não votariam em Lula

Apesar da rejeição, o índice dos que votariam em Lula é maior do que a dos adversários: 23%

Publicado em 26 de outubro de 2015 às 10:05

- Atualizado há 10 meses

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva registrou o maior índice de rejeição entre os eleitores que responderam a uma pesquisa de intenção de voto nas eleições presidenciais de 2018.

Segundo pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (26) pelo jornal O Estado de S. Paulo, o percentual de eleitores que não votariam em Lula de jeito nenhum aumentou de 33%, em maio de 2014, para 55%. Apesar da rejeição, o índice dos que votariam em Lula é maior do que a dos adversários: 23% - contra os 33% possíveis eleitores registrados em maio do ano passado. (Foto: AFP)O Ibope realizou a intenção de voto dos principais políticos que podem disputar a presidência da República em 2018, a exemplo dos tucanos Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra, além de Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT). O levantamento foi feito entre os dias 17 e 21 de outubro. Os outros possíveis candidatos também tiveram aumento na rejeição. De acordo com o Ibope, cresceu o percentual dos que não votariam de jeito nenhum em Aécio (de 42% para 47% em um ano), em Marina (de 31% para 50% em um ano) e em Serra (de 47% para 54% em dois anos). Não há comparativo para a rejeição a Alckmin e a Ciro Gomes, ambos com rejeição de 52%.Aécio Neves aparece com 15% das intenções de voto, seguido por Marina, com 11%. Serra tem 8%, Alckmin tem 7% e Ciro, 4%.Ainda segundo o Ibope, na soma de eleitores que votariam com certeza ou poderiam votar, há empate técnico entre Aécio (42%), Lula (41%) e Marina (39%). Serra e Alckmin ficam, respectivamente, com 32% e 30%. Ciro aparece com 20%.Lula é o mais conhecido entre os políticos, já que apenas 2% o desconhecem. Ciro é o mais desconhecido, por 24% dos eleitores. E 19% não conhecem Alckmin. O percentual sobre Aécio chega a 9% e para Marina, 10%. No caso de Serra, 11% o desconhecem.

As taxas não somam 100% porque um eleitor pode apontar que votaria em mais de um candidato ou que não votaria em nenhum deles.