EM SÃO PAULO

Motorista do Porsche nega que teve tratamento privilegiado em caso

Fernando Sastre Filho está foragido

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 6 de maio de 2024 às 07:53

Fernando Sastre Filho dirigia porsche
Fernando Sastre Filho dirigia porsche Crédito: Reprodução/TV Globo

O empresário Fernando Sastre Filho, foragido por ter batido no carro do motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana em São Paulo, disse que não teve tratamento privilegiado no caso. Ele deixou o local do acidente com consentimento de policiais.

"Eu não tenho acompanhado muito as mídias, então eu não sei a dimensão que está isso também. Mas eu não sou nada disso, eu não tive nenhum tratamento privilegiado. Foi um caso midiático que estourou e foi isso. Para mim foi tudo normal, não teve nada de tratamento privilegiado. Fui tratado como qualquer um", afirmou, em entrevista ao Fantástico, divulgada nesse domingo (5).

Aos policiais, a mãe de Fernando informou que levaria ele ao hospital, mas, na verdade, eles foram para casa. "A minha mãe passa em casa para eu pegar a minha carteirinha do convênio. Quando eu chego em casa, eu tenho um alto descontrole, eu fico muito nervoso por tudo aquilo que está acontecendo. E aí ela me dá um remédio. E aí eu... apago", relatou.

Fernando é réu por homicídio e lesão corporal gravíssima, ambos com dolo eventual, que é quando se assume o risco de matar e ferir. O pedido de prisão dele foi expedido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo na sexta-feira (3). Ele está foragido.