Vice-presidente da Câmara anula parecer e processo contra Cunha retrocede

Ainda foi concedido o direito de vista - mais tempo para análise - feito pelo deputado Carlos Marun (PMDB-MS)

Publicado em 2 de fevereiro de 2016 às 18:06

- Atualizado há 10 meses

O 1º vice-presidente da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu nesta terça-feira (2) anular o parecer do Conselho de Ética que admitia o prosseguimento das investigações contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Com a decisão, o processo retrocedeu até a fase de debate do parecer do relator. Ainda foi concedido o direito de vista - mais tempo para análise - feito pelo deputado Carlos Marun (PMDB-MS).

Essa é a segunda vez que uma decisão de Maranhão beneficia Cunha. Em dezembro de 2015, o vice-presidente substituiu o primeiro relator do processo, deputado Fausto Pinato (PRB-SP), após o mesmo apresentar parecer favorável à continuidade das investigações.(Foto: Agência Brasil) Na ocasião, Maranhão alegou que Pinato, por pertencer a um partido que integrou o bloco do PMDB na eleição para presidente da Câmara, não poderia conduzir o processo. Ele então foi substituído Marcos Rogério (PDT-RO), que também se mostrou favorável a prosseguir com as investigações.

Cunha é suspeito de ter mentido à CPI da Petrobras, quando disse que não possui contas no exterior. Documentos do Ministério Público da Suíça apontaram a existência de três contas no país europeu ligadas ao presidente da Câmara.

[[saiba_mais]]

O presidente a Câmara disse que as contas são administradas por trustes, no entanto, confirmou ser “usufrutuário” dos ativos mantidos na Suíça. Ele ainda é alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal de lavagem de dinheiro. Cunha ainda foi denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por suspeita de receber US$ 5 milhões em propina no esquema de corrupção da Petrobras.