Bichos: Exótico e belo

Esses felinos são uma variação do persa e inspiraram o personagem Garfield

Publicado em 23 de outubro de 2015 às 06:04

- Atualizado há 10 meses

Sabe aquele gatinho fofo, de pelo curto, focinho amassado, patas gordinhas, olhos enormes? Sim. O personagem Garfield foi baseado nele. Estamos falando da raça conhecida como Exótico, cuja preferência tem crescido entre os amantes de felinos em Salvador. Os Exóticos possuem cores variadas, mas todos são amáveis, carinhosos, tranquilos, companheiros e gostam de seguir seus guardadores. Ideal para quem gosta de sossego (Fotos: Divulgação)Os criadores dessa raça garantem que eles são encantadores, e quem os conhece diz não trocá-los por nada, afinal, esses peludinhos apresentam um comportamento calmo e carinhoso, perfeito para quem precisa de um animal de estimação menos ativo e reservado.Os Exóticos  não são muito chegados às novidades, se mostram tímidos na presença de estranhos,adotando um comportamento mais introspectivo e preferindo a companhia de gente conhecida.

De acordo com o criador Fábio Lôbo, do gatil Aruak, os Exóticos vieram da vontade dos criadores de Persas em ter gatos com pelagem menor e mais prática. A criação teve início nos anos 60, nos Estados Unidos.  “Eles fizeram cruzamentos, no início da formação da raça, com British e Chartoux, criando um Persa com um pelo mais curto, porém muito denso e com muito subpelo, dando um aspecto de urso de pelúcia ao gato que tem as características e o padrão iguais aos do Persa”, esclarece.

Os primeiros exemplares que chegaram ao Brasil estavam longe de apresentar um padrão ideal, pois haviam herdado um problema genético dos Persas, que faz com que os rins dos gatinhos apresentem muitos cistos. “Felizmente, conseguimos superar essa herança genética e uma boa dica para quem quiser adquirir um animal dessa raça é buscar a comprovação de que ele seja PKD negativo”, alerta Lôbo.Os Exóticos podem inclusive ser malhadinhosEm geral, os Exóticos pesam de quatro a cinco quilos, possuem um comportamento meigo e doce,  são inteligentes e não dispensam um colinho e um afago. Os peludinhos são compactos e contam com uma estrutura óssea bem forte, cabeça grande e redonda.  São afetivos com crianças e se apegam aos guardadores, adotando o comportamento de segui-los pela casa, assim como fazem os cães. Não costumam miar, são calmos e leais. Gatos que lembram muito o comportamento de cães.

O excesso de subpelo, inclusive, exige cuidados especiais, como nunca deixá-los úmidos, pois tendem a desenvolver micoses na pele. “O ideal é banhá-los a cada 15 dias”, ensina o criador. Os olhos, pelo tamanho e formato, também exigem limpeza e cuidados constantes.  Para manter o bichano sempre vistoso, basta uma boa escovada duas vezes por semana, além da  limpeza de ouvido.

A raça é a grande aposta de alguns criadores que vêm nas características desse pet o ideal para os moradores das grandes cidades, que desejam companhia, mas que optam por um animal mais pacato ou calmo, sem a necessidade de manutenção dos gatos de pelo longo. Os Exóticos podem ser encontrados em todas as cores.

MELHORES AMIGOS - Nina e suas sete vidasDepois do susto, Nina agora aproveita as janelas com proteção (Foto: Arquivo pessoal)No retorno de viagem de negócios, ao chegar em casa, minha filha me presenteou com uma gatinha, resgatada da rua, de 4 meses. Sob o efeito do impacto, disse que não poderíamos ficar com ela por motivos discutidos ao longo de vários pedidos. Minha filha me pediu um prazo de uma semana para conseguir um novo adotante. Como moro no 12º andar, tivemos que manter as janelas fechadas pois a gatinha pulava para a janela, e não tínhamos telas de proteção.

No domingo, por volta das 21h, uma janela um pouco mais aberta selou o nosso destino. Nina, como era chamada, magrinha e leve como uma pluma, conseguiu passar pela fresta e fez seu  1º e único voo livre até o pátio do prédio.  Nina usou suas sete vidas e escapou sem um osso quebrado. A sobrevivente ficou conhecida no prédio e virou lenda. Desde então se tornou a alegria e princesa da casa, querida e amada por todos nós há 4 anos. (Texto de Maria de Fátima Gonzalez)

NOTAS

Pets e modelsA Pet Model Brasil, empresa especializada no agenciamento de animais para campanhas audiovisuais ou impressas, tem mediado a relação entre produtoras, agências de publicidade e donos de animais para trabalhos em cinema, TV, revistas, sites e outras produções. Com mais de 500 animais no banco de dados em 84 cidades em todo o território nacional, o processo é iniciado por meio de um cadastro no site petmodelbrasil.com.br, preenchendo um formulário com dados do pet.

Hospital veterinárioFoi encaminhado ao governo do estado a Indicação 19.767, que solicita a implantação de um hospital público veterinário para cães e gatos no estado. A iniciativa foi do deputado estadual José de Arimateia (PRB). Inspirado pela criação e implantação pioneira de um hospital público do gênero em São Paulo, que proporciona atendimento, sem ônus, para  proprietários ou protetores. A ideia é trazer algo semelhante.