Bichos: Proteção rosa

Campanha realiza atendimento especial para prevenção e tratamento do câncer

Publicado em 9 de outubro de 2015 às 06:15

- Atualizado há 10 meses

No mês de outubro, não serão apenas os humanos que usarão a cor rosa para chamar atenção para a prevenção do câncer de mama. Pelo segundo ano consecutivo, os animais também serão contemplados com a campanha através da iniciativa do Hospital Veterinário da Universidade Federal da Bahia (Ufba). De acordo com a coordenadora da proposta na Bahia, a pesquisadora Alessandra Estrela, os animais com tumores ou suspeita serão avaliados numa ação no próximo dia 17 de outubro. “Disponibilizaremos cem consultas gratuitas para as fêmeas que forem levadas ao Hospital Veterinário, que fica na Avenida Adhemar de Barros, em Ondina”, orienta.A campanha Outubro Rosa Pet também saiu com nova identidade visual para alertar sobre a prevenção (Foto: Divulgação)Mas os cuidados contra o câncer de mama em cadelas e gatas  não se resumem a um dia. Além do Hospital Veterinário, diversas clínicas na cidade estão com promoções especiais para exames e diagnósticos de tumores na mama durante todo o mês de outubro. Aliado a isso, os médicos veterinários são unânimes em lembrar a importância do carinho vigilante, também chamado de Toque Amigo, para garantir o cuidado em cadelas e gatas.

De acordo com a professora e veterinária, assim como acontece com os humanos, a melhor forma de combater o crescimento desordenado de células cancerígenas é através da prevenção e do diagnóstico precoce. Por isso mesmo, Alessandra Estrela salienta ainda que, ao contrário do que muita gente imagina, a castração é o procedimento mais adequado para quem quer proteger seu animal de estimação, principalmente se for feito até os quatro meses nas gatas e até o primeiro ano nas cadelas. “As pessoas pensam que a castração é simplesmente uma mutilação, mas é preciso superar essa ideia, pois a retirada dos órgãos reprodutores impede que as fêmeas que não procriarão fiquem expostas aos hormônios que, a longo prazo, deixam os animais vulneráveis ao surgimento de tumores”, esclarece. 

Segundo a médica, o ideal é que a castração seja feita após o primeiro ano de vida, depois que o desenvolvimento físico já ocorreu. “Com a cirurgia, o animal para de apresentar comportamentos como a pseudociese (gravidez psicológica), além do controle populacional”, explica, fazendo questão de ressaltar que os órgãos reprodutores só servem para a procriação e para desenvolver doenças.

A veterinária especialista em felinos Ilka Gonçalves faz questão de salientar que o câncer de mama é o terceiro mais frequente entre os felinos e só perde para os cânceres de pele e sangue/sistema imunológico. “É fundamental que as pessoas abandonem a cultura de dar anticoncepcional para as gatas, pois essa atitude deixa esses animais mais vulneráveis”, esclarece.

Outra dica  é realizar avaliações frequentes no animal por meio do toque e de um carinho, buscando detectar qualquer presença de pequenos nódulos que lembrem grãos sob a pele do animal. “O tratamento para retirada do tumor será sempre evitável”, diz Alessandra Estrela.

Melhores amigos - Uma gata com nome de LuaLua em dois momentos: com a ‘mãe’ humana e em destaque (Foto: Arquivo pessoal)Essa princesinha de quatro meses se chama Lua e apareceu na vida da enfermeira Cláudia Magalhães em julho deste ano, depois de um encontro bem inusitado. “Estava de plantão e, durante a madrugada, ouvi um miado e fui até a rua ver o que ocorria. Não vi nada e esqueci. Pela manhã,  fui para casa. Qual a surpresa ao perceber que, ao chegar na garagem, ela começou a miar”, conta, divertida. Depois de uma longa procura e da ajuda de um mecânico, a pequena foi encontrada no motor do carro.

Hoje, Lua está bem acomodada no lar como filha mais nova. Como é um bebê e não pode fazer tantas amizades, as brincadeiras são os maiores passatempos, especialmente com os presentinhos ganhos e uma bolinha. Não dispensa uma comidinha dando sopa, além da ração e petisquinhos. Para a mãe humana, sua maior qualidade é ser carinhosa e o maior defeito é querer tudo que os humanos comem. “Ela é comilona”, diverte-se Cláudia.

*Conte a sua história e a do seu animalzinho de estimação na coluna Bichos, através do e-mail [email protected]