Por menores custos, BYD está importando seus veículos por portos fora da Bahia

Empresas parceiras da montadora possuem benefícios fiscais em estados vizinhos

  • Foto do(a) author(a) Donaldson Gomes
  • Donaldson Gomes

Publicado em 7 de março de 2024 às 05:00

Terminal portuário que atendia à Ford está paralisado desde saída de montadora Crédito: Arquivo CORREIO

Na vizinhança

Após concretizar a aquisição da estrutura que abrigava a antiga fábrica da Ford, a BYD deve encarar um novo desafio em seu processo de implantação no estado. A empresa precisa de um porto para movimentar matérias primas e os produtos que vai fabricar por aqui. Mesmo tendo um acordo com a Bahia, que lhe concede benefícios fiscais para dar entrada em seus produtos pelo estado, a montadora está realizando as suas importações pelos portos de Vitória e Suape, no Espírito Santo e Pernambuco, respectivamente, porque as empresas terceirizadas pela BYD para a operação possuem acordos com os dois estados. “Se a Bahia oferecesse o benefício fiscal que os outros estados oferecem, certamente a empresa concentraria essa operação por aqui”, diz uma fonte a par das negociações. As estimativas informais são de que a montadora deve importar aproximadamente 100 mil veículos antes de começar a produzir por aqui.

E o porto da Ford?

Na cerimônia em que a venda da área para os chineses foi sacramentada, o governador Jerônimo Rodrigues mencionou que este é um dos assuntos que pretende tratar com os chineses. A princípio, o Terminal Portuário Miguel de Oliveira, da Ford, ficou de fora do acordo entre os chineses e a Bahia. No final do ano passado, a Infra SA anunciou que foi convidada pelo governo da Bahia para discutir o que fazer com o terminal. O trabalho irá apresentar as necessidades de investimentos no terminal portuário e uma avaliação do potencial de mercado do modelo proposto.

Está chegando

A chinesa Goldwind está por detalhes de assumir a operação da fábrica de equipamentos para produção de energia eólica da GE em Camaçari. Se tudo der certo, esta será a primeira unidade da gigante chinesa fora do continente asiático e a expectativa da empresa é de atingir entre 25% e 30% de participação no mercado nacional de turbinas eólicas. A Goldwind é a maior fabricante mundial de turbinas eólicas e vai produzir, na Bahia, equipamentos de 6.2 a 8.3 mw de potência. Os aerogeradores produzidos nacionalmente, hoje, chegam a pouco mais de 6 mw. O último detalhe que está sendo discutido no processo de passagem de bastão é a expectativa da GE de que a Goldwind assuma os contratos de manutenção dos equipamentos que já foram implantados.

Tá quente

Após registrar um crescimento de 35% na Bahia no ano passado, em comparação com 2022, a Nespresso projeta uma nova alta em sua linha Professional, desta vez de 20%. Maria Fernanda Suñé, gerente de Growth B2B da marca, explica que as expectativas são alimentadas pelo retorno do turismo nacional e internacional na região Nordeste, além da retomada do trabalho em escritórios, depois da pandemia. “Nos últimos anos o Nordeste, especialmente o estado da Bahia, tem despertado o interesse de grandes empresas”, diz. Em 2023, a Nespresso Professional investiu em parcerias estratégicas com novos clientes, no lançamento do programa Chefs Club, que teve o apoio do Chef Vini Figueira, representante regional da marca. "Lançamos a linha Momento na região, máquinas que além de possuírem um design moderno e elegante, dispõem de um sistema touchscreen e fazem a leitura automática da cápsula Nespresso, recomendando a melhor forma de extração", completa Maria Fernanda. Neste ano, a aposta passa pelo apoio a eventos em Salvador, para se aproximar ainda mais do público, empresários e chefs.

Presença feminina

As mulheres representaram 61% das promoções realizadas pela Arcos Dorados, operadora do McDonald’s na América Latina e Caribe, em 2023, considerando escritórios e restaurantes no Brasil. Foram mais de 4.200 promoções. Já as promoções a cargos de liderança foram 50%. No eixo racial, as mulheres negras representam 39% das promoções totais (escritórios e restaurantes) da companhia no ano e 20% das promoções a cargos de liderança. Em diversidade sexual, 22% do total de colaboradoras da companhia afirma ser LGBTI+ e mais de 150 são mulheres trans. Além disso, mais de 720 colaboradoras têm algum tipo de deficiência. A empresa considera os resultados reflexo do compromisso da companhia em oferecer um ambiente de trabalho respeitoso e seguro psicologicamente, além de promover avanços nas pautas de equidade de gênero, raça, diversidade sexual e pessoas com deficiência.