Paula Magalhães garimpa peças a partir de R$ 19,90 em brechós e outlets

Linha Fina Lorem ipsum dolor sit amet consectetur adipisicing elit. Dolorum ipsa voluptatum enim voluptatem dignissimos.

Publicado em 26 de setembro de 2017 às 09:00

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Foto: Angeluci Figueiredo

Em tempos difíceis, comprar roupa barata faz todo sentido. Não é à toa que tanto os brechós como os outlets viraram pontos de encontro de uma turma fashionista, que não abre mão de garimpar. Se o brechó é dedicado à venda de peças de segunda mão, no outlet o foco são roupas novas, oriundas de coleções passadas ou artigos com pequenas avarias. Demos um giro pela cidade e selecionamos espaços que valem a pena conhecer se o intuito é montar um look amigo do bolso. Se eles se diferenciam em alguns aspectos, em outros são muito similares. Nada de espaços bagunçados,  escuros ou empoeirados,  com aquele cheiro de naftalina. Todos os ambientes que visitamos tem cara de loja, com atendimento de primeira e o melhor: muitos achados. A dica é não ter pressa e apreciar o garimpo. Sem preconceito Uma necessidade virou oportunidade. A publicitária e engenheira ambiental Milena Texeira queria um novo rumo para a carreira e pensou em vender roupas usadas nas redes sociais. Deu certo. O brechó Miró vai fazer dois anos. “Comecei comercializando através do Instagram. Com apenas 3 meses já senti que precisava de um espaço físico”, revela ela. A loja possui produtos com valores entre R$ 10 e R$ 300. Não existe preconceito na seleção das marcas, tampouco com os tamanhos, que vão do PP ao GG. O que guia o olhar de Milena é a atualidade do que vai para as araras. “Quando comecei, as pessoas procuravam por marca. Atualmente, estão preocupadas com o estilo”, afirma. Dá para descolar um boné preto de paetês por R$ 39,90, um vestidinho para a noite na faixa dos R$ 90  e uma camisa com influência oriental por R$ 49,90. Va lá Rua Waldemar Falcão, 146, Florestal Shopping, Brotas. Instagram: @brechodamiro. Mina de ouro Dez mil peças, tudo por R$ 19,90 ou R$ 29,90. Tem convite mais irresistível do que esse, para quem gosta de um garimpo fashion? Entre os achados, há itens de coleções passadas da Zara (com pequenas avarias) e jeans vintage direto dos anos 90 da marca nacional Hamuche. A mina de ouro é o Mega Outlet, entre a Calçada e os Mares, em funcionamento desde dezembro do ano passado. “Quando abrimos, o nosso grande chamariz eram as peças da Zara, mas agora temos outras marcas. A cada semana o acervo muda e os preços também, isso que atrai”, revela Gilmara Santana, gerente. Olhos abertos para os shortinhos jeans de cintura alta com lavagem delavê por R$ 19,90 e os macacões estampados a R$ 29,90.  Vá lá Rua Padre Antônio de Sá, 9, Calçada. Araras Arrumadas Um brechó com cara de butique. Assim é o Compritchas, espaço dedicado à venda de peças de segunda mão que funciona há 4 anos e começou na internet. “No início, era uma loja virtual. À medida que foi dando certo, senti a necessidade de ter um espaço físico”, comenta Gláucia Baruch, dona da casa. A proprietária conseguiu se fincar no mercado pela curadoria bem pensada, incluindo grifes nacionais e  internacionais, e pelo fato do acervo estar todo em perfeito estado. Por isso, alguns preços são um pouco mais elevados do que na concorrência. Uma bolsa da francesa Louis Vuitton chega a custar R$ 1.000. Porém, quando se trata de marcas do Brasil, esses valores despencam. Um vestidinho da Farm custa R$ 100. A dica é não ter pressa e se deixar levar pelos muitos achados que podem ser  uma bolsa Balenciaga e óculos Céline ou simplesmente um body dourado bapho de R$ 49,90.  Va lá  Rua Clara Nunes, 387, loja 11, loteamento Aquarius, Pituba. Instagram: @compritchas.