Bom suspense, 'O Mundo Depois de Nós' discute ética e sobrevivência

Filme na Netflix tem Ethan Hawke, Julia Roberts e Mahershala Ali

Publicado em 8 de dezembro de 2023 às 06:00

Mahershala Ali, Myha'la, Julia Roberts e Ethan Hawkee
Mahershala Ali, Myha'la, Julia Roberts e Ethan Hawkee Crédito: divulgação

Ataques zumbis, invasões alienígenas, desastres naturais... tudo isso já foi tema de inúmeros filmes. Mas o que aconteceria se todos os meios de comunicação sofressem uma pane repentina? Imagine o mundo sem internet, sem TV, sem celular... E esse caos é o mote de O Mundo Depois de Nós, que estreia na Netflix.

O elenco é capaz de causar tanto impacto quanto o argumento do filme: Kevin Bacon, Ethan Hawke e Julia Roberts são estrelas veteranas que aqui têm a companhia de uma estrela mais recente, Mahershala Ali, vencedor do Oscar de ator coadjuvante duas vezes: uma por Moonlight (2016) e outra por Green Book (2018). A direção é de Sam Esmail, conhecido principalmente pela criação da premiada série Mr. Robot. Esmail se juntou ao autor do romance homônimo, Rumaan Alam, para escrever o roteiro do longa.

No filme, Roberts e Hawke interpretam Amanda e Clay, que são casados e vão passar o fim de semana em uma casa alugada, muito confortável e isolada, onde buscam sossego para eles e para os filhos adolescentes. De repente, aparelhos eletrônicos param de funcionar e, em seguida, recebem uma visita surpresa: o dono do imóvel, interpretado por Ali, chega com a filha e pede para ser abrigado por uma noite na própria casa, porque houve um apagão na estrada e eles acharam mais seguro retornar.

E aí, claro, começa a sequência de paranoias, especialmente por parte de Amanda. Ou será que, diante da situação, ela está mesmo certa e, no lugar de paranoia, podemos falar em cautela de uma mãe zelosa? Daí em diante, surgem várias perguntas, feitas pela protagonista e que você, espectador, também vai se pegar fazendo: afinal, confiar ou não naquele homem? Ele é mesmo dono da casa, como se identifica? O casal deve ou não abrigá-los? Será que o mundo está mesmo passando por um apagão ou é uma imensa teoria da conspiração?

Mas a coisa começa a ficar séria quando os personagens saem de casa e notam que a situação lá fora é mesmo preocupante e o cenário é absolutamente caótico: as pessoas estão desesperadas; os carros autônomos - aqueles que dispensam motorista - estão descontrolados e provocam graves acidentes; aviões perderam comunicação com os satélites e caem com frequência.

Tudo isso, claro, com uma pitada da paranoia dos EUA: se no cinema, os inimigos até pouco tempo eram os soviéticos e russos, agora são os orientais. Numa cena, caem do céu panfletos com a frase "Morte à América", em um idioma que, mesmo que não identifiquemos qual é, percebemos que é oriental.

Suspense dos bons

Quando a briga passa a ser pela sobrevivência, o filme lança questões éticas que, se não são originais, geram dilemas interessantes e sobre o qual provavelmente todos já pensamos. Numa situação dessa, o que devemos fazer? Somos solidários ao vizinho e cedemos a eles a comida, a água e o remédio que temos em casa? Ou guardamos, afinal, amanhã a sobrevivência de nossos filhos poderá depender desses itens?

O Mundo Depois de Nós é suspense dos bons, que por vezes faz lembrar o clima dos filmes de Jordan Peele, diretor de Corra! (2017), especialmente por causa das cenas dentro da casa, em uma ambiente claustrofóbico. O filme da Netflix é entretenimento da melhor qualidade e que, se você não estiver com preguiça, pode render boas reflexões.

Na Netflix, a partir desta sexta (8)