Grupo baiano MP7 é um dos oito selecionados para disputa vocal no Domingão do Faustão

Novo quadro do Domingão do Faustão, A Capella estreia hoje, às 19h, na Globo/TV Bahia, para eleger as melhores vozes do Brasil

Publicado em 21 de fevereiro de 2016 às 09:06

- Atualizado há 10 meses

Um show com baixo, percussão, guitarra e todos os instrumentos que  tem direito. Mas existe um detalhe: é tudo no gogó. Consegue imaginar? Então acrescente uma disputa para ver qual grupo se sai melhor na conquista do júri: o próprio público. O resultado é o novo quadro do Domingão do Faustão, A Cappella, que estreia hoje, às 19h, na Globo/TV Bahia, com direção de Aldo Picini. 

O nome já dá a dica do que propõe a nova atração do programa apresentado por Fausto Silva, no qual oito grupos especializados em música vocal se enfrentam no palco, sem o acompanhamento de instrumentos. Só voz e corpo são permitidos no desafio entre os 55 cantores participantes que representam diferentes estados, incluindo a Bahia. Larissa Lacerda, Sávio Andrade, Guilherme Hübner, Ananda Andrade e John Gallegos formam o MP7: grupo vocal baiano está em A Capella (Foto: Diego Rabello/Divulgação)

Para descobrir quem são os baianos, basta lembrar quando o Lepo Lepo conquistou o Brasil, no Carnaval de 2014. Junto ao sucesso da banda Psirico, viralizou um vídeo no YouTube do grupo vocal MP7 com um inusitado pot-pourri de Lepo Lepo e Stand By Me, música eternizada na voz de John Lennon (1969-1980). Pois essa turma de Salvador, vista por mais de um milhão de pessoas na internet, está na disputa.Com repertório pop, o MP7 enfrenta a veia funk e soul do grupo Set Black, de Brasília, a pegada gospel do Ônix, de São Paulo, a MPB dos cariocas Subversos, além do brega do Alma de Gato, de Cuiabá. A disputa inclui o romantismo do Vocal 5, de Porto Alegre, o agito d’Os Carcarás, do Rio Grande do Norte, e a black music inspirada no The Jackson 5, apresentada pelo grupo Negros e Vozes, de Niterói.“Esta é mais uma novidade do Domingão: uma disputa musical sem instrumentos. É tudo no gogó! Os grupos são muito bons e o público é quem vai escolher o vencedor”, explica o diretor-geral do programa, Jayme Praça. Ou seja, comentaristas são convidados por Faustão, mas as notas são dadas pelo público do auditório ou através do site do GShow e por SMS. A batalha segue a cada domingo, até restarem três grupos na grande final.O júri pode ou não ter conhecimento em técnica musical e isso “tem um lado muito bom”, para o advogado e cantor Sávio Andrade, 40, do grupo MP7. “Quando a gente é artista, mesmo com a melhor técnica possível, no fim das contas a gente quer emocionar quem está ouvindo”, explica. O apresentador Fausto Silva comanda novo quadro do Domingão(Foto: Divulgação)EtapasO repertório dos grupos, ainda em segredo, está sob responsabilidade da S de Samba, produtora musical de Jairzinho e Simoninha. A dupla selecionou músicas que fizeram sucesso no Brasil nas últimas décadas, para compor a trilha da primeira etapa. Depois, quando chegar na reta final, cada grupo vai escolher seu repertório.Para entender melhor a dinâmica do quadro A Cappella, é só imaginar que serão quatro etapas. A primeira tem duas chaves, onde quatro grupos se apresentam e os dois mais votados vão automaticamente à próxima fase. Os dois menos votados se enfrentam em novo duelo e quem tiver menos votos será eliminado. O mesmo acontece com a segunda chave, na semana seguinte.Na segunda etapa, ou terceira semana, seis grupos se apresentam e os quatro mais votados vão para a semifinal. Os dois menos votados duelam com a mesma música e o menos votado é eliminado.Na terceira etapa, cinco grupos se apresentam e os dois mais votados vão para a final, enquanto o menos votado será eliminado. Os que ficarem em terceiro e quarto lugares se enfrentam e quem receber mais votos segue na disputa. Por fim, a quarta etapa é dedicada aos três finalistas. O grupo menos votado será eliminado e os outros dois se enfrentam. Quem receber mais votos será o grande vencedor da batalha musical.

Vozes

Criado há três anos e influenciado por grupos como o americano Pentatonix e o baiano Banda de Boca, o MP7 se dedica à música pop. Eclético, o repertório  vai de Adele a Lady Gaga, passando por Coldplay, Gilberto Gil e Carlinhos Brown.Cinco cantores emprestam a voz ao MP7, que já cantou com artistas como Brown e Daniela Mercury. São eles: Guilherme Hübner, John Gallegos, Ananda Andrade, Larissa Lacerda e Sávio Andrade. “Amo axé music, sou folião, já cantamos em trio, mas a gente também quer mostrar que a Bahia pode ser mais do que isso”, diz Sávio.Entre os desafios na disputa, está a missão de fazer todas as vozes soarem como “uma massa sonora só”. “Outro desafio é não ter instrumento te guiando para não sair do tom. Se um desafinar, o outro vai junto e vira um pandemônio!”, ri Sávio. Para ele, “participar está sendo maravilhoso e ganhar é consequência”. O mais importante para o MP7 é divulgar a música vocal. “A voz é a maneira mais rápida de transmitir emoção, mais rápida que qualquer instrumento”, diz.