De volta ao Carnaval, Márcia Freire critica invasão de ritmos: "É preciso valorizar a cultura baiana"

Ela fez a alegria dos foliões com hits como "Balança coqueiro", "Auê", "Doce obsessão" e "Pureza da paixão"

Publicado em 4 de fevereiro de 2016 às 21:02

- Atualizado há 10 meses

A cantora Márcia Freire relembrou sucessos da sua época de Cheiro de Amor no Circuito Dodô nesta quinta-feira (4). Ela fez a alegria dos foliões com hits como "Balança coqueiro", "Auê", "Doce obsessão" e "Pureza da paixão". A musa do axé dos anos 1990 não se poupou de polêmicas e afirmou que não gosta da invasão de outros gêneros no Carnaval de Salvador. 

VEJA TUDO O QUE ESTÁ ROLANDO NO CARNAVAL(Foto: Agecom)"Sinceramente, não gosto dessa invasão de ritmos no Carnaval. Acho que é preciso valorizar a cultura baiana. Quanto vamos cantar forró no São João, ou fazemos um trabalho com esse foco, ou não entramos no mercado. Acho que essa abertura não é legal porque toma o nosso espaço", opinou Márcia, que voltou a tocar na folia depois de oito anos afastada do Carnaval. 

BAIXE O FAROL: O APLICATIVO QUE VAI TE GUIAR NO CARNAVAL

“Tomamos um baque e já pensávamos que o nosso Carnaval tem que ser reestruturado e reavaliado. É um ciclo de retorno. Este ano tem muita gente que há muitos anos estava fazendo Carnaval fora da capital baiana e que conseguiu estar aqui, como Gil Melândia e eu”, diz.

O Carnaval de rua, com mais blocos sem cordas, é considerado importando por Freire. "Acho bacana que a gente possa fazer isso para o povo".