Portais de segurança ajudaram a diminuir índices de violência, diz secretário

Ao todo, foram instalados 48 equipamentos nos três circuitos oficiais do Carnaval de Salvador

Publicado em 10 de fevereiro de 2016 às 15:57

- Atualizado há 10 meses

A instalação dos 48 portais de abordagem nos três circuitos do Carnaval de Salvador surtiu efeito. Pelo menos essa é a percepção da Secretaria de Segurança Pública (SSP), que fez um balanço de todos os dias da festa nesta quarta-feira (10), no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, no Largo dos Aflitos.

Os dados apresentados apontaram que os índices de violência durante os seis dias de festa deste ano foram menores do que os da festa do ano passado. “Nós tivemos um Carnaval diferenciado. Esse ano nós tínhamos planejado a construção dos portais de abordagem e ouvi muitos turistas, muitas pessoas falando que passaram pela abordagem e que estavam se sentindo muito mais seguras”, afirmou o secretário Maurício Barbosa.

Ainda de acordo com o secretário, as abordagens permitiram um número recorde de apreensões de drogas (foram 55 ocorrências registradas) e de armas brancas. Nos portais, foram apreendidas duas armas de fogo, 64 armas brancas (ocorrências que configuram intenção de cometimento de crime) e 354 objetos recolhidos com potencial de arma branca.  48 portais de abordagem foram instalados nos três circuitos oficiais da festa(Foto: Marina Silva/CORREIO)Por hora, foram cerca de 20 mil abordagens realizadas nos equipamentos. Em todos os dias, 42 pessoas foram conduzidas às delegacias. Destas, 13 foram presas em flagrante. Cinco adolescentes também foram apreendidos.

De acordo com o secretário, implantar os portais foi um desafio, e ao longo dos dias a atuação dos policiais foi sendo aprimorada. “Isolar três grandes circuitos foi um desafio muito grande, em uma cidade como Salvador, cheia de saídas. Ao longo dos dias a gente amadureceu, fomos aprendemos com nossas dificuldades e tivemos um aumento expressivo de abordagens”, afirmou Barbosa.

Para o comandante geral da Polícia Militar, Coronel Anselmo Brandão, os equipamentos deram uma sensação de segurança ao folião, o que contribuiu para o aumento de pessoas nas ruas. “Os portais foram uma ferramenta de visibilidade e prevenção, que ficou muito forte no imaginário. Ao saber que existiam esse portais nos três circuitos, as pessoas se sentiram mais seguras para ir às ruas”, explicou o coronel.

O prefeito ACM Neto elogiou a atuação da polícia durante os dias de festas durante uma entrevista coletiva nesta quarta (10). “Tivemos um clima de muita paz tanto no Carnaval dos bairros quanto no pré-Carnaval e na abertura de quarta-feira. Tivemos a diminuição dos episódios com arma de fogo, comparando com 2015. A gente acredita que foi uma decisão acertada os policiais na entrada (dos circuitos). Queria fazer um agradecimento à Polícia Militar do Estado da Bahia. A revista foi muito importante”, afirmou. 

Folia e PazNo entorno dos grandes circuitos, estações de transbordo e principais corredores de tráfego, também foram realizadas abordagens pela Operação Folia e Paz.

Desde o início do Carnaval foram abordadas 32.198 pessoas e 3.735 veículos (carros e motos), 778 taxis, 826 coletivos e 1.234 pontos de ônibus, resultando na condução de 45 pessoas às delegacias, 11 flagrantes lavrados e cinco adolescentes apreendidos. Ao todo, 1.249 policiais atuaram com o apoio de 346 viaturas.

Maria da Penha Pela primeira vez, guarnições atuaram com exclusividade em casos de violência contra a mulher no Carnaval de Salvador, na Ronda Maria da Penha. A ação foi uma parceria da PM com a Secretaria de Política para as Mulheres do Estado (SPM) com atenção especial às ocorrências de violência contra a mulher.

Ao todo, a Ronda atendeu 39 ocorrências e prendeu duas pessoas em flagrante que foram conduzidas para a delegacia. Neste período, a Ronda realizou ainda 98 visitas e 93 palestras.