OUTRA DECISÃO PELA FRENTE

Após perder o estadual, Bahia tem na Copa do Nordeste última saída para “salvar” o primeiro semestre

Tricolor encara o Náutico nesta quarta-feira (10) pelas quartas de final do Nordestão

  • Foto do(a) author(a) Gabriel Rodrigues
  • Gabriel Rodrigues

Publicado em 9 de abril de 2024 às 05:00

Rogério Ceni vive primeira crise no Bahia desde que chegou ao clube na temporada passada
Rogério Ceni vive primeira crise no Bahia desde que chegou ao clube na temporada passada Crédito: Tiago Caldas/EC Bahia

Clube de maior investimento no futebol nordestino em 2024, o Bahia deixou a desejar no Campeonato Baiano. A superioridade apontada no papel ficou apenas na teoria e a equipe de Rogério Ceni viu o rival Vitória ser melhor em três dos quatro clássicos disputados na temporada. O saldo final foi o vice-campeonato do estadual em casa para o rubro-negro e um desempenho que preocupa os tricolores. Agora, o Esquadrão terá na Copa do Nordeste a chance de “salvar” o primeiro semestre.

Amanhã, o Bahia recebe o Náutico, às 21h30, na Fonte Nova, pelas quartas de final do Nordestão. O confronto será decidido em jogo único e quem vencer avança à semifinal. Em caso de empate, o classificado será conhecido nos pênaltis. Por ter feito a melhor campanha na primeira fase, o tricolor tem a vantagem de jogar em casa.

Apesar de chamar a responsabilidade pela perda do Campeonato Baiano e admitir que o Bahia não conseguiu manter ritmo no primeiro jogo da final, quando abriu 2x0 e sofreu a virada no Barradão, o técnico Rogério Ceni diz que confia no projeto que está sendo construído no tricolor.

“Eu penso o seguinte: nós temos uma convicção de trabalho, a maneira como o time joga, como o time propõe o jogo. Lógico que o Vitória obteve oportunidade para fazer o segundo gol no jogo, mas mesmo no 10 contra 11 nós jogamos em função de fazer o gol, de construir, de trabalhar… Tentamos sempre povoar o campo do Vitória para fazer o gol, mesmo no 10 contra 11. Empatamos o jogo, mas não conseguimos o resultado preciso. Mas eu não posso fazer isso por uma ou duas partidas, que as coisas não foram exatamente como a gente queria pela perda do título”, analisou Ceni logo após o Ba-Vi na Fonte Nova.

Nos primeiros quatro meses do ano, o Bahia se dividiu entre o Campeonato Baiano, a Copa do Nordeste e a Copa do Brasil. Sob o comando de Ceni, o grupo alcançou o objetivo de ser o líder geral do torneio regional e avançou à terceira fase na competição nacional. A meta agora é não morrer na praia outra vez.

Além disso, o treinador vive o seu primeiro atrito com a torcida. No jogo contra o Vitória, Ceni ouviu gritos de burro e teve a sua saída do clube pedida por alguns presentes nas arquibancadas da Fonte Nova.

Se passar pelo Náutico, o Bahia enfrentará na semifinal da Copa do Nordeste o vencedor de CRB e Botafogo-PB. Na outra chave, Sport e Ceará reeditam a final do ano passado. Quem vencer, pega o classificado do embate entre Fortaleza e Altos-PI.

A partir do fim de semana, as atenções do tricolor também vão se concentrar no Campeonato Brasileiro. O time estreia na Série A contra o Internacional, no sábado (13), às 18h30, no estádio Beira Rio.

“É muito difícil exigir qualquer coisa do torcedor agora. Nesse primeiro trimestre eu não lembro de nenhum jogo com menos de 20 mil aqui. É hora de entregar mais coisas ao torcedor do que pedir a presença deles aqui dentro. Nós queríamos ser campeões, assim como o torcedor, infelizmente deixamos passar essa oportunidade”, completou Ceni.

JEJUM

Por sinal, a perda do estadual fez o tricolor ampliar para 23 anos o período sem conseguir vencer o Campeonato Baiano e a Copa do Nordeste em uma mesma temporada. A última vez foi em 2001, quando bateu o Juazeiro na final do Baianão e o Sport na decisão do torneio regional.

Nos últimos anos, o tricolor teve a chance de repetir a dobradinha em pelo menos quatro oportunidades, mas bateu na trave. Em 2015, o clube chegou às finais do Baianão e Copa do Nordeste. Faturou o estadual, mas acabou derrotado pelo Ceará na final do regional.

Já em 2017, o Esquadrão venceu o Sport na final da Copa do Nordeste, mas perdeu o Baiano para o Vitória. Um ano depois, em 2018, o time foi campeão estadual, mas ficou com o vice do Nordestão ao ser batido pelo Sampaio Corrêa na decisão.

Em 2020, o Bahia voltou a ser campeão estadual, desta vez venceu o Atlético de Alagoinhas, nos pênaltis. Mas caiu diante do Ceará na final da Copa do Nordeste.