ESPORTE

Festival Mar e Elas movimenta praia da Preguiça neste sábado (4)

A atividade é fruto da parceria entre a Prefeitura de Salvador

  • Foto do(a) author(a) Alô Alô Bahia
  • Alô Alô Bahia

Publicado em 3 de maio de 2024 às 11:52

Festival Mar e Elas
Festival Mar e Elas Crédito: FBDA

A Praia da Preguiça, no bairro do Comércio, recebe neste sábado (4), a partir das 6h30, a primeira edição do Festival Mar e Elas. O evento contará com uma maratona aquática e atividades de bem-estar e saúde, todos voltados para mulheres.

A atividade é fruto da parceria entre a Prefeitura de Salvador, através das secretarias municipais de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude e de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer, a Federação Baiana de Desportos Aquáticos e a Associação dos Nadadores Masters da Bahia.

Com o intuito de fomentar a prática da natação entre mulheres, o Festival terá duas provas, sendo uma de 150 metros para as iniciantes, que irão nadar acompanhadas das madrinhas, atletas com certa experiência; e 1,5 km para as nadadoras praticantes.

A expectativa é reunir 200 participantes e as três primeiras colocadas na categoria 1,5 km subirão ao pódio. Todas as nadadoras, em ambas as categorias, serão premiadas com medalhas. Além da maratona aquática, a programação inclui ainda aulas de ioga, swing baiano, palestra informativa, espaço zen com massagem, SPA esportivo e café da manhã.

Atualmente na categoria master, a nadadora Joana Cantolino, conselheira da Anmba, comenta entusiasmada sobre a realização da primeira edição do evento e lembra o quanto o esporte aquático foi importante no controle da asma identificada na infância.

“Começar a nadar contribuiu muito para ajudar no controle dessa doença crônica. A natação é um esporte completo. Além de ajudar na melhora da saúde física, previne a depressão, estresse, alivia problemas respiratórios e hormonais. É também uma importante ferramenta de socialização e construção de amizades (…) Será um lindo momento de estimular nadadoras que nunca nadaram no mar por medo ou falta de oportunidade”, afirma a atleta.