OLIMPÍADA

Giullia Penalber conquista vaga em Paris-2024 no wrestling

Lutadora brasileira fez campanha irretocável no Pré-Olímpico de Istambul e se garantiu nos Jogos da França

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 10 de maio de 2024 às 16:02

Giullia Penalber celebra classificação à Olimpíada de Paris
Giullia Penalber celebra classificação à Olimpíada de Paris Crédito: UWW/Divulgação

Foram oito anos de espera após a queda na luta que valia vaga para os Jogos do Rio-2016. Nesta sexta-feira (10), com campanha irretocável no Pré-Olímpico de Istambul, na Turquia, Giullia Penalber, de 32 anos, finalmente concretizou o sonho de estar em uma olimpíada. Com três vitórias e vaga na final da categoria 57 kg, a atleta carioca garantiu o westring em Paris-2024.

Campeã dos Jogos Pan-Americanos, a brasileira confirmou sua vaga ao vencer, na semifinal, a usbeque Laylokhon Sobirova por 7 a 5. Foi o duelo mais equilibrada de Penalber, que passou, ainda, pela italiana Aurora Russo (4 a 0) e por Sezim Shumanazarova, do Quirguistão (12 a 0).

Com três vagas para os Jogos Olímpicos em disputa em Istambul, a brasileira, que é irmã do judoca Victor Penalber, não necessitou realizar a final diante da russa Olga Khoroshavtseva, também garantida.

Com medalha no peito e sorriso largo, a brasileira comemorou muito quando recebeu o cartaz confirmando sua classificação a Paris-2024. "O sonho foi realizado", comemorou o Comitê Olímpico do Brasil (COB), em suas redes sociais.

No Top 10 mundial da modalidade, Giullia superou a jovem italiana de 20 anos na estreia evitando todos os ataques e desequilibrando-a com um toque por baixo, seguindo de projeção e apenas pesando o corpo para conseguiu o touche.

Nas quartas de final, a brasileira dominou todo a luta. Ainda no primeiro round, Giullia aplicou o gancho por dentro e somou logo quatro pontos. Com duas cruzetas, abriu 8 a 0, deixando a atleta do Quirguistão sem ação. Com projeção, completou o Touche e fechou as quartas de final com 12 a 0.

Na luta da vaga olímpica, a brasileira levou um susto ao não concluir um ataque e ver Sobirova passar para suas costas e abrir 2 a 0. Com poderoso gancho, a virada para 4 a 2. Ela buscava o touche quando o cronômetro zerou o round, com ela subindo apenas para 6 a 2.

No segundo round, a rival reagiu e diminuiu para 6 a 5, resultado suficiente para a brasileira celebrar a vaga em Paris-2024. Ela ainda ganhou mais um ponto após o técnico da atleta usbeque lançar um desafio.