FORÇA DO ELENCO

Reservas foram responsáveis por 40% dos pontos do Bahia no Brasileirão

Jogadores do banco estão fazendo a diferença para o tricolor na Série A

  • Foto do(a) author(a) Gabriel Rodrigues
  • Gabriel Rodrigues

Publicado em 9 de maio de 2024 às 05:00

Ratão Bahia
Ratão, Everaldo e Biel já balançaram as redes saindo do banco no Brasileirão Crédito: Letícia Martins/EC Bahia

O Bahia navega em águas tranquilas no Campeonato Brasileiro. O tricolor começou a competição de forma meteórica, conquistou 10 dos 15 pontos disputados e ocupa a vice-liderança, empatado com o Athletico-PR. A explicação para a boa fase passa diretamente pela força do elenco.

Apesar de Rogério Ceni ter rodado menos o time e adotado uma base para a equipe titular neste início de Série A, os jogadores que saem do banco estão fazendo a diferença. Até aqui, 40% dos pontos conquistados pelo Esquadrão tiveram a participação direta de atletas que iniciaram como opção entre os reservas.

Contra o Botafogo, o meia uruguaio Carlos de Pena e o atacante Rafael Ratão entraram em campo no segundo tempo e construíram a jogada do gol que sacramentou o triunfo por 2x1, no Engenhão, no Rio de Janeiro.

As mudanças de Rogério Ceni já haviam dado certo no clássico contra o Vitória. Na ocasião, Biel e Everaldo foram os escolhidos na etapa final e decidiram no empate por 2x2, no Barradão.

O aproveitamento dos jogadores que vêm do banco poderia ser ainda maior se o Bahia tivesse vencido o Internacional pela estreia no Brasileirão, já que foi do reserva Biel o gol que abriu o placar no estádio Beira-Rio. Mas o clube baiano não resistiu e levou a virada por 2x1.

O técnico Rogério Ceni valoriza a força do elenco e destaca que o tricolor está mais encorpado do que na temporada passada, quando brigou contra o rebaixamento. No primeiro trimestre, o treinador fez uma espécie de rodízio entre os atletas e deu oportunidade para todos os jogadores do grupo.

“Eu acho que é um elenco mais reforçado que o do ano passado. Muitas vezes, a gente não tem a exata característica [para reposição]. Por exemplo, o Cauly. Mas temos como suprir de outra maneira, com um posicionamento diferente”, avaliou Ceni.

Destaques

Entre os atletas que decidiram jogos para o Esquadrão, duas peças chamam a atenção. Protagonistas contra o Botafogo, Carlos de Pena e Rafael Ratão vivem fases de destaque no tricolor. O uruguaio chegou ao clube no início do Brasileiro e tem sido uma espécie de 12º jogador: participou das seis partidas que o Bahia fez entre Série A e Copa do Brasil, todas saindo do banco.

Com De Pena, que pode fazer a função de meia ou volante, Rogério Ceni consegue manter a estrutura do meio-campo montada para ter a posse de bola, uma crítica que o treinador fez durante a disputa do Campeonato Baiano. O uruguaio deu o seu primeiro passe para gol no último jogo.

Lá no ataque, Ratão ativou o modo artilheiro em 2024. O jogador balançou as redes seis vezes em 15 duelos. Mesmo tendo sido reserva em boa parte dos compromissos que disputou, ele é o vice-artilheiro do clube na temporada, junto com Everaldo. A dupla fica atrás apenas de Thaciano, que tem oito gols.

Com um tento a cada 87 minutos, Rafael Ratão é ainda o atleta do tricolor que precisa de menos tempo para vazar os adversários. A concorrência no ataque, aliás, tem sido alta. Além de Everaldo e Thaciano - que se firmou como referência -, o colombiano Oscar Estupiñán, que já marcou cinco vezes, também briga por uma vaga.

“Acho que cada minuto é muito importante. Cada minuto é uma oportunidade. Desde a chegada do Oscar Estupiñán, a gente tem seis jogadores para essa função. É difícil colocar todo mundo para jogar [...] Não tem como usar todos. Temos que tentar valorizar aqueles que começam, aqueles que entram. E não se apegar a quem ficou fora”, completou Ceni.

Quem também chama atenção em 2024 é o atacante Biel. Titular em boa parte da última temporada, o camisa 11 tornou-se uma das principais armas do Esquadrão durante o segundo tempo.

Dos 23 jogos que disputou na temporada, 13 foram na condição de reserva. Mesmo assim, Biel é o líder em assistências do Esquadrão, com sete passes para os companheiros.

No Brasileirão, ele é um dos artilheiros do time, com dois gols (um contra o Internacional e outro no clássico com o Vitória). Fica atrás apenas de Everaldo, que é um dos goleadores desta edição do Campeonato Brasileiro. O centroavante tem três tentos e está empatado com o chileno Vargas, do Atlético-MG, e Luciano, do São Paulo.

“Demonstra que é um grupo pequeno, mas com caras comprometidos. E cada dez minutos, cinco minutos, pode te gerar mais no futuro. Ratão com um facão fantástico”, analisou Rogério Ceni, lembrando do gol do atacante sobre o Botafogo.