'Entendia que era justo eu permanecer na chapa pela história construída', diz Ana Paula Matos

Assim como Bruno Reis, vice-prefeita acredita que a eleição deste ano na capital baiana pode ser definida no primeiro turno

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 24 de junho de 2024 às 13:00

Vice-prefeita de Salvador, Ana Albuquerque
Vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos Crédito: Ana Albuquerque/Correio

A atual vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos (PDT), falou, em entrevista ao CORREIO, sobre a definição da chapa à reeleição do prefeito Bruno Reis (União Brasil). A pedetista disse que mereceu permanecer na majoritária.

“Entendia que era justo (eu permanecer na chapa) pela história construída, mas entendia também e já tinha dito isso publicamente, que estaria ao lado de Bruno em qualquer condição. Um prefeito que é aprovado por 74%. Essa escolha não é de uma pessoa, é de um grupo político. Então, eu precisei ter humildade, ter resiliência, e confiar muito em Deus e nesse grupo que, no momento certo, haveria essa escolha e que seria de modo justo e respeitoso”, afirmou.

Assim como o prefeito Bruno Reis, Ana Paula acredita que a eleição deste ano na capital baiana pode ser definida no primeiro turno. “O prefeito tem uma visão da qual eu compartilho. Com a visão matemática e muito técnica, a gente avalia o cenário e percebe que tem um número menor de candidatos. Havendo o número menor de candidatos, acaba tendo uma tendência maior a uma decisão no primeiro turno. Óbvio que a gente vai buscar sempre focar na vitória pelo trabalho que a gente tem, pelo respeito às pessoas, porque a gente confia na cidade de Salvador”, declarou.

A entrevista da vice-prefeita Ana Paula Matos concedida ao CORREIO pode ser lida na íntegra (clique aqui).