Jerônimo mostra discordância da PEC da Reeleição articulada pelos aliados na Alba

A proposta abre o caminho para um terceiro mandato do presidente da Casa, Adolfo Menezes (PSD)

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 20 de março de 2024 às 16:27

Jerônimo Rodrigues (PT), governador da Bahia
Jerônimo Rodrigues (PT), governador da Bahia Crédito: Rafael Martins/GOVBA

O governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), demonstrou, nesta quarta-feira (20), discordar da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da Reeleição, que foi articulada e aprovada com o apoio dos seus aliados na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba).

A proposta abre o caminho para um terceiro mandato do presidente da Casa, Adolfo Menezes (PSD). A aprovação da PEC começou a ser articulada no ano passado pelas mãos dos parlamentares aliados do petista: Nelson Leal e Niltinho, ambos do PP, e Vitor Bonfim (PV).

Para Jerônimo, a PEC causa “preocupação”, uma vez que possibilitará reeleições sucessivas do presidente da Alba.

“A Assembleia tem autonomia e eu tenho que respeitar. Gosto muito da parceria com o presidente Adolfo Menezes. É um bom parceiro, parceiro de todas as horas, (mas) acho preocupante o fato da não renovação. A democracia passa pela renovação dos quadros. Mas, se a Assembleia disse e aprovou a PEC, é claro que eu tenho que compreender que é a demanda e o desejo de um poder. E eu tenho que respeitar esse poder”, declarou o governador.

A matéria, que foi votada em dois turnos, recebeu 56 votos favoráveis e dois contra. Questionado após aprovação da PEC se vai disputar um novo mandato, Adolfo Menezes se esquivou. “Todos podem pleitear a presidência, e a maioria da Casa, na hora certa, vai dizer”, declarou.

A eleição interna está prevista para acontecer em fevereiro do próximo ano.