SALVADOR

Marcha do MST causa congestionamento na Av. Luís Eduardo Magalhães

Grupo vai em direção ao CAB

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 16 de abril de 2024 às 08:15

Marcha percorreu cerca de 110km, de Feira de Santana a Salvador
Marcha percorreu cerca de 110km, de Feira de Santana a Salvador Crédito: Coletivo de Comunicação MST-BA

O grupo do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) segue em direção ao Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, na manhã desta terça-feira (16), e já causa cerca de 800m de congestionamento na altura da Av. Luís Eduardo Magalhães. A previsão é que haja impacto no trânsito da Paralela também. 

A categoria saiu de Feira de Santana, a 120 km da capital baiana, e ficou oito dias em caminhada pela Marcha Estadual pela Reforma Agrária.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, por volta das 6h30, os militantes estavam no KM-618 Leste da BR-324, próximo do posto Gameleira. Eles caminham até o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). 

Já na quarta, às 9h, os agricultores irão até a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) para um ato em defesa da reforma e contra a violência no campo. A data marca os 28 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, quando morreram 19 sem-terra no município de Eldorado do Carajás, no sul do Pará.

Congestionamento de 18 km

Os militantes chegaram em Salvador na manhã de segunda-feira (15) e causaram mais de 18 km de congestionamento a partir do km 618 da BR-324, na altura do bairro de Águas Claras. 

Motoristas que fizeram o trajeto Feira-Salvador reclamam que a viagem durou mais que o dobro do tempo comum. "Geralmente dura entre 1h30, até 2h, mas hoje cedo foram 4h com tudo travado na entrada de Salvador", afirma um condutor. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a previsão é que haja engarrafamento novamente na terça-feira (16).

Em média, mais de 3 mil pessoas participam da manifestação. Durante a marcha, foram realizadas atividades de solidariedade, plantio de árvores e debates.