SALVADOR

Moradoras de condomínio no Horto Bela Vista acusam homem de importunação sexual em elevador: 'Muito medo'

Homem persegue as vítimas nas áreas comuns do prédio, segundo relatos; duas registraram boletim de ocorrência

  • Foto do(a) author(a) Maysa Polcri
  • Maysa Polcri

Publicado em 1 de abril de 2024 às 10:00

Condomínio Reserva das Plantas fica no Horto Bela Vista, em Salvador
Condomínio Reserva das Plantas fica no Horto Bela Vista, em Salvador Crédito: Reprodução/Google Maps

Moradoras e funcionárias do Condomínio Reserva das Plantas, no Horto Bela Vista, denunciam um homem por importunação sexual nas áreas comuns do residencial localizado em Salvador. Segundo os relatos, o morador persegue as mulheres nos elevadores e assedia as vítimas. Duas mulheres, que foram tocadas sem consentimento pelo homem, registraram boletim de ocorrência no dia 20 de março. O condomínio se nega a divulgar as imagens das câmeras de segurança às vítimas.

As reclamações sobre a postura do morador circulam pelo Condomínio Reserva das Plantas desde o ano passado. Mas, nas últimas semanas, as denúncias ganharam força depois que duas moradoras levaram o caso à Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam). As vítimas contam que o homem fica nas áreas comuns do condomínio e, quando uma mulher vai ao elevador, ele começa a perseguição. Acompanha a vítima até o andar escolhido por ela e, depois, entra no elevador de serviço e desaparece. 

Entre outubro do ano passado e março deste ano, uma moradora foi perseguida três vezes pelo homem. “Ele me seguiu até o 19º andar de uma das quatro torres. Ele alisou meu braço, com olhar de safadeza. Eu chamei ele de doido e saí do elevador. Outra vez ele me seguiu na garagem e subiu no elevador até meu andar”, conta. O comportamento é repetido nas quatro torres do condomínio. 

As mulheres que concederam entrevista preferem não se identificar. Elas estão com receio de transitar sozinhas no condomínio. “Fico apreensiva em andar sozinha. Não saio de casa à noite sem estar acompanhada. Não sei porque esse homem fica me seguindo, o que ele quer comigo”, diz a mulher com a voz embargada. 

Vítimas compartilham relatos no grupo de mensagens
Vítimas compartilham relatos no grupo de mensagens Crédito: Reprodução

Outra moradora também foi vítima do assediador, que não chegou a tocá-la, mas a deixou desconfortável com comentários assediadores. “Eu já tinha ouvido os boatos sobre esse homem, mas nunca tinha acontecido comigo até janeiro. Eu andava pela garagem e ele estava encostado na pilastra, fingindo que estava mexendo no celular. Quando eu passei, ele adiantou o passo e começou a me seguir”, conta uma vítima. Enquanto ambos aguardavam o elevador, o homem assediou a moradora.

“Foi um olhar nojento, como se ele quisesse me seduzir, me pegar. Ele ficou dizendo que eu era linda, perguntou se eu era casada e, quando eu disse que era noiva, falou que meu noivo tinha muita sorte. Foi horrível, muito desconfortável”, relata. O morador é um homem branco, alto, usa óculos, tem barba e aparenta ter 40 anos, segundo as vítimas.

Diante dos episódios, mulheres se uniram em um grupo de mensagens e pressionam o condomínio para ter acesso às câmeras de segurança do prédio. A reportagem teve acesso à troca de mensagens de moradores e administração do condomínio, que orientou as vítimas a registrarem boletim de ocorrência.

Mais de 100 moradores assinaram um abaixo-assinado em que pedem por mais medidas de segurança dentro do condomínio, no Horto Bela Vista. A administração foi procurada, mas não se manifestou sobre o caso até a publicação desta matéria. A Polícia Civil também foi questionada, mas não respondeu se investiga o caso. 

Em março deste ano, um caso de importunação sexual em um condomínio em Fortaleza ganhou repercussão nacional. O Ministério Público do Ceará denunciou o assessor de investimentos Israel Leal Bandeira, 41, que foi flagrado tocando partes íntimas de uma mulher em um elevador.