Mulheres denunciam sequestro e roubo por motorista de aplicativo em Salvador

A Uber informou que a conta do motorista foi temporariamente desativada assim que soube das denúncias

Publicado em 26 de outubro de 2023 às 19:30

Uber
Uber Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Quatro mulheres já denunciaram que foram sequestradas por um motorista por aplicativo em Salvador, somente em outubro. Segundo relatos, o homem cancelava as corridas após as vítimas entrarem no carro e as ameaçava com uma arma após anunciar o sequestro. Durante o crime, as vítimas eram obrigadas a fazer transferências via PIX.

Em nota, a Polícia Civil informou que já tem conhecimento da identidade do suspeito e investigações serão feitas para prender o autor dos crimes. Câmeras de vigilância auxiliaram na identificação do veículo utilizado para praticar o crime. Os sequestros aconteceram nas regiões da Avenida Tancredo Neves, Costa Azul e Pituba, onde também foi registrado um caso ocorrido na Rua Ceará, no domingo (22).

A Uber informou ao CORREIO que a conta do motorista foi temporariamente desativada assim que teve conhecimento do episódio. A empresa também disse que permanece à disposição para auxiliar no curso das investigações, nos termos da lei.

Além disso, a empresa reiterou que todos os parceiros cadastrados na Uber passam por uma checagem de apontamentos criminais a partir dos documentos fornecidos para cadastramento na plataforma e também realiza rechecagens periódicas dos motoristas já aprovados, pelo menos, uma vez a cada 12 meses.

Dica de segurança

Durante a viagem, o aplicativo conta com o botão Recursos de Segurança, que permite que usuários e motoristas parceiros possam compartilhar a sua localização e o tempo de chegada em tempo real com quem desejarem, além de oferecer a opção de ligar para a polícia em situações de risco ou emergência diretamente do app. Ao pressionar este botão, além de efetuar a ligação, o usuário será informado de sua localização atual e informações do veículo em viagem.

Confira a nota da uber na íntegra:

A Uber lamenta que cidadãos que desejam apenas se deslocar sejam vítimas da violência que permeia nossa sociedade. Esperamos que as autoridades possam identificar e responsabilizar o autor dos atos criminosos. A empresa permanece à disposição para auxiliar no curso das investigações, nos termos da lei. A conta do motorista parceiro utilizada foi temporariamente desativada assim que a empresa tomou conhecimento do episódio.

Segurança é prioridade para a Uber e a empresa está sempre buscando, por meio da tecnologia, fazer da sua plataforma a mais segura possível, de uma forma escalável. Hoje uma viagem pelo aplicativo já inclui ferramentas de segurança antes, durante e depois de cada viagem, tanto para os usuários quanto para os motoristas parceiros.

Durante a viagem, o aplicativo conta com o botão Recursos de Segurança, que reúne funções de segurança da plataforma. O recurso, permite que usuários e motoristas parceiros possam compartilhar a sua localização e o tempo de chegada em tempo real com quem desejarem, além de oferecer a opção de ligar para a polícia em situações de risco ou emergência diretamente do app. Ao pressionar este botão, além de efetuar a ligação, o usuário será informado de sua localização atual e informações do veículo em viagem. No Rio de Janeiro, Maranhão e no Pará, esse recurso já foi integrado com o serviço 190 para que os operadores do serviço de emergência recebam automaticamente a localização em tempo real e os dados da viagem em que foi originada a chamada. O projeto reproduz uma integração que a Uber já faz com os serviços de atendimento a emergências em mais de 1.200 cidades dos Estados Unidos, além de diversos estados no México, África do Sul e Canadá.

Além disso, todos os parceiros cadastrados na Uber passam por uma checagem de apontamentos criminais realizada por empresa especializada que, a partir dos documentos fornecidos para cadastramento na plataforma, consulta informações de diversos bancos de dados oficiais e públicos de todo o país, em tempo real, em busca de apontamentos de crimes que possam ter sido cometidos. A Uber também realiza rechecagens periódicas dos motoristas parceiros já aprovados pelo menos uma vez a cada 12 meses.