Qual o melhor dia para fazer mercado? Especialista dá dicas de como economizar

Itens de hortifruti acumulam alta de mais de 200% na Bahia

  • Foto do(a) author(a) Maysa Polcri
  • Maysa Polcri

Publicado em 1 de março de 2024 às 07:00

Itens de hortifruti estão até 266% mais cara na Bahia
Itens de hortifruti estão até 266% mais cara na Bahia Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

Entre outubro do ano passado e fevereiro deste ano, alimentos como verduras, legumes e frutas ficaram mais de 200% mais caros nas prateleiras dos supermercados. Alimentos como cebola, abóbora, banana e uva lideram os aumentos na lista de compras dos baianos. Para driblar a inflação do hortifruti, a reportagem consultou a educadora financeira Liz Midlej e separou algumas dicas que ajudam na economia.

Fazer compras nos dias mais baratos

Evitar fazer compras na primeira quinzena do mês pode ajudar na economia dentro de casa. Como a maioria das pessoas busca os supermercados nesse período, os preços tendem a aumentar. As melhores promoções costumam ocorrer entre os dias 15 e 30.

Saber o que tem em casa

A educadora financeira Liz Midlej indica que os consumidores tenham conhecimento sobre os produtos que têm em casa antes de ir às compras. “Se eu sei que tem duas bananas em casa, coloco na lista a quantidade para não comprar em excesso no mercado e evitar desperdício”, diz.

Teto de gastos

Seguir à risca a lista de compras também evita gastos desnecessários. O ideal é que os consumidores estipulem um limite de gastos a cada ida ao supermercado ou feira. “Observo que as pessoas vão às compras sem saber qual será o valor pago no caixa. Não pode ser um mistério, precisa existir um limite”, indica.

Alimentos da estação

Saber quais são os alimentos da estação ajuda a economizar já que eles costumam ser mais baratos porque a demanda é maior. Em março, os alimentos da safra são: melancia, umbu, seriguela, abóbora, quiabo e repolho.

Pesquisa de preços

Fazer as compras em mais de um estabelecimento pode ser mais trabalhoso, mas a economia vale a pena. É o que garante Liz Midlej: “Cada grupo de alimento costuma ser mais barato em um local específico. É bom variar as compras em mercados e feiras, além de pesquisar onde está mais barato”.