'Repete toda hora que ele morreu para salvar ela', diz tia de criança que viu pai ser assassinado

A menina também ficou ferida na ação; outro homem que estava no local foi baleado e segue internado

  • D
  • Da Redação

Publicado em 16 de novembro de 2023 às 21:08

null Crédito: Reprodução/ TV Bahia

A menina de 6 anos que foi baleada de raspão durante um ataque em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, está traumatizada após ter visto o pai, Alexsandro Marques Barreto, de 47 anos, ser assassinado em um bar. O crime aconteceu nesta quarta-feira (15). Em relato à TV Bahia, a tia da criança disse que a menina não para de falar do crime.

“A mãe dela relatou que ela tem repetido toda hora que ele morreu para salvar ela. Tá um trauma que vai ficar praticamente a vida toda. É pedir força a Deus e procurar alguns recursos, mas não é fácil", disse a tia identificada como Jaqueline. “É difícil ter que enfrentar esse trauma psicológico de tudo que ela presenciou e a perda do pai da forma que foi”, completou.

A família também acredita que os tiros não eram para Alexsandro. "Era um bom pai de duas meninas. Era um excelente filho, irmão, tio, ser humano e morreu de uma forma tão brutal e injusta", disse a sobrinha da vítima, Ana Queila dos Santos.

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos chegaram em um carro, um dos ocupantes desceu do veículo e atirou contra Alexsandro, que não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Além de Alexsandro e a filha, um outro homem também foi atingido pelos disparos.  Ele foi identificado como Welington Lima Ferreira, de 44 anos. Segundo a TV Bahia, ele passou por cirurgia e está internado no Hospital Municipal de Salvador. O estado de saúde não foi divulgado.

A Polícia Militar informou que foi acionada e ao chegarem no local, os PMs constataram que um homem havia morrido no local e as outras duas vítimas haviam sido socorridas para uma unidade de saúde da região.

Foram expedidas as guias para o trabalho do Departamento de Polícia Técnica. Autoria e motivação são apuradas. Ninguém foi preso.