Salvador terá primeiro Centro Cultural do Banco do Brasil no Nordeste

teatro Vila Velha será mantido no espaço, que ganhará um cinema e áreas de lazer; não há previsão de inauguração

  • Foto do(a) author(a) Millena Marques
  • Millena Marques

Publicado em 23 de março de 2024 às 05:00

Maquete do Centro Cultural Banco do Brasil, que será instalado no Palácio da Aclamação, no Passeio Público
Maquete do Centro Cultural Banco do Brasil, que será instalado no Palácio da Aclamação Crédito: Paula Fróes

Localizado no bairro do Campo Grande, em Salvador, o Palácio da Aclamação foi escolhido para ser a sede do primeiro Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) no Nordeste. O acordo foi assinado pela instituição privada e pelo Governo do Estado da Bahia na noite desta sexta-feira (22), em evento especial na futura sede do CCBB.

O primeiro centro desse tipo foi inaugurado no Rio de Janeiro, em 1989. Atualmente, além do Rio, o projeto alcança outros três grandes centros do Brasil: São Paulo, Belo Horizonte e Brasília. A capital baiana foi escolhida para receber o novo CCBB por dialogar com aspectos que compõemstratégia de investimento do Banco do Brasil.

"Essa terra respira cultura em todos os poros, em todos os cantos. A Bahia é a artéria de cultura desse país. Então nada mais justo que um centro cultural na Bahia", afirma , presidente do Banco do Brasil.

De acordo com Paula Sayão, diretora de Marketing e Comunicação do Banco do Brasil, a estrutura e a história por trás do Palácio da Aclamação foram fatores que impulsionaram a escolha. "É um prédio super bonito, que vai virar esse equipamento muito importante para todas as vertentes, mas que já tem um teatro e que já faz parte da cena cultural da Bahia", afirma.

Embora o projeto ainda esteja passando por estudos, Sayão afirma que o Teatro Vila Velha deve ser mantido e que o espaço ganhará um cinema e áreas de lazer na parte externa. Não há previsão de inauguração do Centro do Cultural.

O investimento financeiro é do Banco do Brasil e do Governo Federal, mas o valor só será definido após o processo se licitações. O Governo entra com a concessão do local e com verbas de manutenção do local.

"Nós fizemos a concessão do equipamento, que é uma contribuição efetiva. Haverá um investimento, mas de manutenção para preservar a história do Palácio e das condições que serão mantidas", disse o governador Jerônimo Rodrigues.

Secretário de Cultura do Estado, Bruno Monteiro ressalta a importância de escolher um prédio histórico para sediar o primeiro CCBB do Nordeste. "É um prédio histórico que guarda parte significativa da história da Bahia, foi residência de governadores por 50 anos e, agora, ao passar por um processo de restauro, vai abrir as portas para a realização da cultura", pontuou.

*Com orientação da subeditora Monique Lôbo