'INFLUENCER DE DEUS'

'Santo da Internet' conquista devotos na Bahia

Considerado um marco da fé para a juventude católica, o beato teve seu segundo milagre reconhecido pelo Papa

  • Foto do(a) author(a) Yasmin Oliveira
  • Yasmin Oliveira

Publicado em 6 de junho de 2024 às 06:00

A foto de Carlo Acutis está sendo exibida na Igreja de São Pedro
A foto de Carlo Acutis está sendo exibida na Igreja de São Pedro Crédito: Marina Silva/CORREIO

O ‘Santo da Internet’ já começa a acumular devotos na Bahia. Considerado um marco da fé para a juventude católica, o beato Carlo Acutis teve seu segundo milagre reconhecido pelo Papa Francisco no último dia 23 de maio.

“Para a juventude católica a canonização de Carlo Acutis é a possibilidade de reconhecer o quanto o jovem ele pode dominar as suas vontades, seus desejos e podem ter um coração voltado para Deus, mesmo na sua juventude”, conta Padre Josuel, assessor eclesiástico da Juventude no Nordeste.

Mesmo a canonização vinda como uma surpresa, o ‘influencer de Deus’ utilizava de suas habilidades digitais autodidatas e criou um site onde arquivava milagres. A beatificação dele e o reconhecimento de seus milagres trouxeram proximidade dos jovens com o futuro santo. Padre Josuel relembra que a maioria dos santos estão relacionados com homens e mulheres em uma fase mais madura da vida, enquanto Carlo Acutis faleceu com leucemia aos 15 anos, em 2006.

“Acredito que Carlo Acutis é um exemplo de que os milennials não são apenas ansiedade e depressão, que podemos também ser santos. É um exemplo bem próximo da busca de Deus pela evangelização”, diz conta o advogado Beto Cordier, 23.

O ano em que Paula Soares, 21, se converteu para o catolicismo foi o mesmo em que Carlo se tornou beato, a diferença dos dois atos foram meses. A proximidade de idade entre os dois fez a curiosidade da estrategista de mídias sociais pela história do jovem crescer.

“Lembro que lançaram a data da beatificação, e aí eu fui procurar a história dele e me apaixonei. Assisti pela TV e foi muito emocionante. Ter um intercessor ali que viveu uma vida comum e ordinária, assim como a nossa, mas que em tudo se doou, em tudo amou a igreja, em tudo amou a Deus, em tudo amou a Cristo. Enfim, é um presente mesmo”, conta Paula.

Paula é devota do beato Carlo Acutis
Paula é devota do beato Carlo Acutis Crédito: Marina Silva/CORREIO

Para Paula, a canonização de Carlo Acutis é um presente para a humanidade, pois ver um rosto jovem em uma santidade traz uma enorme esperança para outros jovens, além de ser uma resposta para suas orações. “Desde a cerimônia da beatificação, eu me vi me entregando ali, entregando o meu processo de conversão diária, de santificação diária, porque de fato era uma inspiração. E um ano depois da beatificação dele, eu recebi os sacramentos na igreja, e eu tenho certeza que a intercessão dele foi fundamental nesse processo”, diz.

A estudante de odontologia Mariana Mello também crê que o beato é um marco revolucionário para a juventude católica e um exemplo de santidade. “Ele foi um menino adolescente que não era ordenado, ele era apenas um menino que tinha vontade de ser santo de fato. Apesar de termos santos jovens, ele é mais ‘próximo’ da gente pela questão do tempo mesmo a história dele é muito recente. Por isso é muito fácil se identificar com ele, com as roupas que ele usa e com o meio de evangelização dele”, expressa.

Conhecido pelo público jovem, o ‘padroeiro da internet’, alguns de seus devotos precisam defendê-lo para os mais velhos. Alguns acreditam que por ser uma pessoa comum, ele não poderia ser santo ou que a canonização chega a ser uma piada pelo corpo de Carlo Acutis estar preservado em Assis, na Itália, com calças jeans, tênis Nike e camisa esportiva.

“Muitos costumam dizer ‘como uma pessoa comum ela pode ser considerada santa?’. De fato, os santos eram pessoas comuns que viviam a sua humanidade, mas viveram a sua humanidade abertas a graça de Deus, então consequentemente viveram uma vida extraordinária, viveram uma vida de virtudes, uma vida voltada para Deus e para o céu”, conta a vestibulanda Thalita Menezes, 24.

A jovem faz parte da Comunidade Católica Shalom e explica que dentro da Igreja não costuma ouvir comentários negativos sobre a canonização, mas fora dela precisa defender o ‘padroeiro da internet’.

No entanto, Ângelo Grisi, 78, não representa aqueles que são contra a canonização. O aposentado conheceu a história do beato na Igreja de São Pedro, na Piedade, onde o padre Aderbal Galvão colocou um cartaz contando a história e fotos do beato na paróquia.

“Ele está fazendo milagres. Esse garoto sofreu as consequências de uma doença e terminou indo embora muito jovem. No mundo que a gente vive atualmente, tudo a gente tem que crer é para que a vida da gente ande com fé. Quando a gente parte daqui o nosso espírito vai ser avaliado na outra vida, para que a gente possa voltar ou continuar lá para trabalhar em prol da humanidade e é o que ele que está fazendo agora”, diz Ângelo.

Os milagres de Carlo foram reconhecidos pela Igreja Católica em 2019 e em maio deste ano. Ambos envolvendo problemas de saúde milagrosamente curados após pedidos ao jovem.

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro