Brasileiro é sequestrado e morto a tiros em terreno baldio no Equador

Marcelo Mello estava com um amigo quando foi abordado por um grupo e levado para um terreno baldio. Polícia investiga se a morte foi encomendada

Publicado em 20 de fevereiro de 2016 às 19:25

- Atualizado há 10 meses

A polícia do Equador investiga o assassinato do brasileiro Marcelo Carneiro Mello, 41 anos, morto a tiros na cidade de Guayaquil. Um dentista peruano que estava com Marcelo foi baleado mas conseguiu fugir e pedir socorro. O crime aconteceu na madrugada desta sexta-feira (19) em um terreno baldio que fica a poucos metros de uma delegacia. Marcelo também tinha nacionalidade americana.Terreno onde Marcelo Mello foi morto (Foto: Reprodução/El Universo)Marcelo foi atingido por quatro disparos e não resistiu aos ferimentos. Já o peruano, identificado como Jorge, levou um tiro no ombro e fingiu estar morto para escapar dos suspeitos. Em seguida, ele saiu pela rua pedindo socorro e foi acolhido pela polícia. Segundo a imprensa equatoriana, a polícia informou que o brasileiro e o peruano se conheceram em um consultório odontológico e se tornaram amigos. No dia do crime, eles estavam juntos quando foram abordados por um grupo e levados para o local, onde foram baleados.

O peruano foi medicado e encaminhado pra um lar de idosos, onde está sob vigilância policial. Ainda de acordo com os jornais do Equador, a polícia investiga se a morte de Marcelo foi encomendada.Segundo Pablo Cruz, autoridade local, Marcelo estava no país havia cinco dias. Ele teria ido até à cidade onde foi morto para receber a quantia de U$ 200 mil. Na manhã de ontem, a polícia esteve no hotel onde Marcelo se hospedou no centro de Guayaquil e encontrou vários cartões de crédito.Familiares em Salvador

O caso está sendo acompanhado pelos Ministério das Relações Exteriores em Brasília e pela Embaixada do Brasil em Quito, no Equador. "O Itamaraty está prestando toda assistência consular cabível aos familiares. Em respeito à privacidade e a intimidade dos envolvidos com o caso, não vamos divulgar informações sobre as circunstâncias do ocorrido", disse assessoria ao CORREIO. O Itamaraty não informou para onde o corpo do brasileiro será levado, já que ele tem dupla nacionalidade. "É uma decisão da família", completou a assessoria.

Familiares de Marcelo em Salvador lamentaram a morte pelas redes sociais. "Meu irmão a dor que estou sentindo com a sua perda é gigantesca! Meu coração está dilacerado. Meu peito está corroendo e queimando de muita dor. Nunca imaginei que fosse sentir uma dor como essa! Estou destruído por dentro", escreveu o irmão da vítima. "Estamos contigo. Muita força nesse momento de dor", disse um amigo.