Coreia do Norte fecha complexo intercoreano após retaliação de Seul

O complexo de Kaesong abriga 124 empresas sul-coreanas e emprega cerca de 54 mil norte-coreanos

Publicado em 11 de fevereiro de 2016 às 13:13

- Atualizado há 10 meses

A Coreia do Norte ordenou a tomada militar do complexo industrial de Kaesong, considerado o maior símbolo de cooperação entre as Coreias. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (11). O país mais fechado do mundo ainda cortou duas linhas telefônicas, uma civil e outra militar, que comunicava as autoridades de Seul e Pyongyang.

As ações foram em retaliação ao processo de repatriação iniciado pela Coreia do Sul, que levou de volta seus cidadãos que trabalham em Kaesong, um dia após Seul ordenar o fechamento do parque industrial, em resposta ao lançamento de um foguete pelo regime de Kim Jong-un, no domingo (7).(Foto: AFP)

Antes do anúncio desta quinta, o governo de Seul esperava retirar seus cidadãos no prazo de uma semana. Segundo o Ministério da Unificação, ligado à Coreia do Sul, todos os 248 trabalhadores do lado Sul, de um total de 805, que ainda estavam no complexo de Kaesong já haviam voltado ao país.

Kaesong abriga 124 empresas sul-coreanas e emprega cerca de 54 mil norte-coreanos. Apesar dos entraves, o governo do sul se disse aberto à possibilidade de reabrir o complexo, caso as relações bilaterais melhorem.