Fernando Villavicencio, candidato à presidência do Equador, é morto a tiros

Villavicencio foi alvo de 15 tiros, foi levado ao hospital mas não resistiu aos ferimentos

  • Foto do(a) author(a) Rede Nordeste, O Povo
  • Rede Nordeste, O Povo

Publicado em 9 de agosto de 2023 às 23:07

O candidato presidencial equatoriano Fernando Villavicencio foi morto a tiros após realizar um comício em Quito, capital do Equador, nesta quarta-feira, 9.

O político foi alvo de 15 tiros, sendo que três acertaram a cabeça. Villavicencio estava com seguranças, mas foi alvejado no tumulto causado após o fim do comício.

Fernando Villavicencio tinha 59 anos e estava em 5º lugar na corrida presidencial, segundo uma pesquisa publicada pelo veículo de comunicação "El Universo" na última terça-feira, 8. Após o tiroteio desta quarta, ele foi levado ao hospital, mas devido à gravidade dos ferimentos, teve morte confirmada por médicos, familiares e as autoridades que estão acompanhando o caso. 

O atual presidente do Equador, Guillermo Lasso, disse que "o crime organizado foi longe demais" em uma postagem na rede social. "Indignado e consternado com o assassinato do candidato presidencial Fernando Villavicencio. Minha solidariedade e condolências à sua esposa e filhas", escreveu.

O presidente acrescentou que "pela sua memória e pela sua luta, garanto que este crime não ficará impune" e que "o crime organizado foi longe demais, mas receberá todo o peso da lei".

O Equador tem enfrentado nos últimos anos um aumento do crime relacionado ao tráfico de drogas, o que quase dobrou a taxa de homicídios para 25 por 100.000 habitantes em 2022.

Villavicencio era um dos oito candidatos no primeiro turno das eleições presidenciais e era o representante de um partido de centro. O pleito ocorrerá antecipadamente em 20 de agosto.

Veja o momento do disparo: