Papa e patriarca ortodoxo russo fazem reunião histórica em Cuba

Pouco antes de se reunir a portas fechadas com o patriarca, Francisco agradeceu ao povo cubano

Publicado em 13 de fevereiro de 2016 às 00:32

- Atualizado há 10 meses

O papa Francisco se reuniu ontem com o patriarca ortodoxo russo Kirill, num histórico encontro entre os líderes das igrejas do Ocidente e do Oriente, que foram divididas no cisma de 1054. O encontro ocorreu em Cuba, em uma escala da viagem do pontífice para o México. Também foi divulgado um comunicado conjunto no qual católicos e ortodoxos manifestaram sua preocupação com a situação de minorias cristãs na Síria e no Iraque, vítimas de ataques do Estado Islâmico.   Kirill e Francisco se encontraram após longa separação das igrejas(Foto: AFP)“Finalmente”, exclamou Francisco ao abraçar o patriarca ortodoxo em uma sala no Aeroporto de Havana. “Somos irmãos”, complementou. Os religiosos trocaram cumprimentos e Kirill respondeu ao líder católico: “Agora as coisas serão mais fáceis”. O encontro foi acompanhado pelo presidente cubano, Raúl Castro, e o cardeal de Havana, Jaime Ortega. “Apelamos à comunidade internacional para evitar o extermínio de cristãos no Oriente Médio”, diz o texto conjunto dos dois líderes.

O patriarca russo afirmou que o encontro lhe permitiu entender e sentir a posição de Francisco em diversos temas. Ainda de acordo com Kirill, os dois líderes religiosos concordaram com a chance de católicos e ortodoxos cooperarem na defesa do cristianismo.  “Os resultados da conversa permitem assegurar que as duas igrejas podem cooperar na defesa dos cristãos em todo o mundo”, disse Kirill. 

Pouco antes de se reunir a portas fechadas com o patriarca, Francisco agradeceu ao povo cubano. “Se continuarmos assim, Cuba se converterá na capital da união”, disse o papa, que teve papel fundamental na reaproximação diplomática entre a ilha e os Estados Unidos e nas negociações de paz entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).