Quem é o ex-taxista suspeito do massacre que matou mais de 80 pessoas

Situação aconteceu no Quênia

  • D
  • Da Redação

Publicado em 25 de abril de 2023 às 09:31

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Reprodução / KBC Quênia

No leste do Quênia, um ex-taxista é suspeito de ter colocado diversos seguidores para morrerem de fome após seita do jejum. Paul Mackenzie Nthege virou "pastor" em 2003 e está no centro do "Massacre da floresta de Shakahola". 

No local, segundo o UOL, dezenas de corpo foram encontrados, e possivelmente, faziam parte da Igreja Internacional das Boas Novas, fundada pelo ex-taxista em 2003. 

A polícia já tinha recebido relatórios sobre "cidadãos ignorantes mortos de fome com o pretexto de conhecer Jesus depois de terem passado por uma lavagem cerebral".

Sabendo que estava sendo procurado, o ex-taxista resolveu se entregar à polícia no dia 14 de abril. A igreja tinha mais de 3 mil membros e tinha como missão "nutrir os fiéis de forma holística em todas as áreas da espiritualidade cristã, enquanto nos preparamos para a segunda vinda de Jesus Cristo através do ensino e da evangelização".

Em 2023, ele foi preso pela primeira vez após ter promovido a não escolarização das crianças, alegando que a bíblia não reconhecia a edução dos menores. 

Ele foi solto após uma fiança de R$ 3,8 mil, alegando posteriormente que estava surpreso com as acusações contra ele. A soltura do suposto pastor aconteceu semanas antes da polícia encontrar as primeiras vítimas na floresta. Até o momento, mais de 58 pessoas foram localizadas.