Rússia corta fornecimento de gás à Ucrânia; UE teme crise

Ucranianos esperam estabelecer acordo até o dia 7 de janeiro

Publicado em 2 de janeiro de 2009 às 01:11

- Atualizado há 9 meses

A Rússia cortou nesta quinta-feira (1º) o fornecimento de gás à Ucrânia, país vizinho, depois de uma disputa contratual. Preocupada em assegurar clientes, os russos aumentaram o envio de gás para outros países europeus.

A União Europeia (UE) pediu que sejam feitas novas negociações para resolver o problema e também ressaltou que todos os contratos devem ser cumpridos. Os Estados Unidos também fizeram um apelo para que os países entrem em acordo. A UE recebe um quinto do gás através de gasodutos que passam pela Ucrânia.

Empresas de energia da Alemanha, França, Áustria e Romênia declararam que a Euopa tem gás em estoque para aguentar alguns dias em caso de corte por parte da Rússia - mais do que uma semana, entretanto, dificultaria a situação. Apesar disso, não foi registrado diminuição no envio de gás para estes ´países.

O presidente da Ucrânia Viktor Yushchenko divulgou em comunicado que espera retomar as negociações com os russos para resolver questões de pagamentos atrasados e preços para 2009. A expectativa é de que um acordo seja estabelecido até o dia 7 de janeiro.

A União Europeia quer evitar que aconteça algo similar à disputa entre os dois países em janeiro de 2006, quando a Rússia cortou o gás da Ucrânia, o que acabou gerando queda na entrega para outras partes da Europa - em pleno inverno.