5 cachoeiras para mergulhar na Bahia

vanessa brunt
21.08.2019, 13:15:00
Atualizado: 29.08.2019, 10:29:06

5 cachoeiras para mergulhar na Bahia


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A natureza da Bahia abre alas para uma interatividade convidativa, como acontece nas cachoeiras próprias para banhos que o estado guarda nos seus interiores. Das menores e aconchegantes, como a Cachoeira de Dona Zilda,  em Imbassaí, até as mais famosas, como a de Pancada Grande, em Ituberá, são diversas as opções para quem quer mais contato com o ecoturismo de forma tranquila e saudável – com águas realmente limpas.

Mas, para quem está em busca de cantos menos movimentados ou simplesmente quer fugir das indicações mais vistas por aí, separei cinco cachoeiras que vão desde as que parecem cenários de contos de fadas até as mais próprias para levar a criançada.

O mais bacana é que os locais indicados (onde ficam as cachoeiras) são repletos de outras atrações turísticas. Leve seu lanche – porque a maior parte delas não tem comércio no entorno –, recolha o seu lixo e mergulhe nas paisagens de tirar o folêgo que diversos cantos baianos podem trazer. Confira:

1. Véu de Noiva | Em Jacobina  

Segunda mais recomendada da lista para ir com crianças, a Cachoeira Véu de noiva está localizada no distrito de Itaitu, em Jacobina. A queda d'água conta com 60 metros de altura e a parte superior é formada por pequenas piscinas. A parte de cima é também usada por quem curte esportes radicais, como o rapel.  

Além das diversas pedras secas que dão suportes para quem quiser apenas contemplar, a caminhada também é uma das mais curtas. São entre 20 a 30 minutos. O acesso é por meio de uma estrada de terra batida, por onde carros pequenos podem passar sem dificuldades. 

Cachoeira Véu de Noiva (foto/Tripadvisor/divulgação)

A partir de um ponto sinalizado o trajeto deve ser percorrido a pé. Com uma bela paisagem de vales no entorno, a trilha por baixo é a mais fácil de ser percorrida e pessoas que já foram com toda a família elogiam a caminhada tranquila. A opção do caminho feito por cima tem dificuldade média, com subidas que não são indicadas para crianças e idosos. 

Tendo Itaitu como ponto de partida, outras opções de passeios na região são as cachoeiras de Piancó, Riachinho, Sossego, das Arapongas, Poço da Geladeira e suas respectivas trilhas.

➨ Como chegar: saindo de Itaitu, seguindo as placas (carro + trilha com 30 minutos de caminhada).
 

2. Cachoeira da Sibéria | Em Mucugê

O Mar da Espanha é um grande lago localizado no meio do rio Paraguaçu, em Mucugê. O próprio lago proporciona banhos refrescantes e é ali ao lado, também no rio, que fica a cachoeira da Sibéria. O visual é de tirar o fôlego, com um grande canyon esculpido nas rochas sedimentares areníticas.

Ao chegar na cachoeira, é possível visualizar mais corredeiras e, caso não tenha ocorrido chuva, pode ser que a própria cachoeira não seja possível de ser encontrada. Mas o ideal é ir até ela em tempos que não estejam chuvosos, já que com o volume mais baixo, os vários poços proporcionam o banho. 

É importante, porém, equilibrar evitando também o banho no período da seca, época em que os contribuintes do Paraguaçú encontram-se com baixíssimo volume de água.

Cachoeira  daSibéria (foto/Hugo Pádua no Google Maps e site Guia Chapada Diamantina)

Os atrativos ficam situados em um velho garimpo, em meio às antigas habitações. O acesso pode ser feito de carro ou bicicleta. A parte da trilha em que se anda é conhecida por ter baixo grau de dificuldade.

➨ Como chegar: saindo de Mucugê, são 10 km (3 km de carro e 7 km de estrada garimpeira). Saindo do Mar da Espanha, são 3 km de trilha.
 

3. Cachoeira da Roncadeira | Em Andaraí

Os 80 metros altura da queda d'água da Roncadeira (ou Roncador) ficam localizados entre Itaetê e Andaraí, minucípios com limites próximos. O trekking de acesso é de 1h30. No caminho, é possível fazer diversas pausas, como a que é feita para apreciar o rio Timbozinho, os cânions e as paisagens deslumbrantes.

Após 9.2km de estradas, começa a trilha para a cachoeira. O carro fica numa espécie de entroncamento. Na entrada do cânion da Roncadeira, em meio à vegetação e lagedos, são feitos acampamentos e muitos deles são de grupos que saem da Chapada Diamantina já que a cachoeira fica inserida no Parque Nacional da Chapada Diamantina.

Cachoeira Roncadeira (foto/Alessandra Cecília no Google Maps/divulgação)

Em caso de chuva não é uma trilha recomendada, por se tratar de caminhada sobre rochas, que podem ficar escorregadias. São várias as pedras secas nos arredores da cachoeira, que permite partes mais rasas e mais fundas para o mergulho.

➨ Como chegar: saindo de Itaetê, com trekking de 1h30.
 

4. Cachoeira da Primavera | Em Lençóis

A Cachoeira da Primavera é a que mais se parece com um mundo encantado para quem quer cenários de contos de fadas. Repleta de plantas pelas pedras próximas à queda d'água, ela conta com rochas que criam áreas sombreadas, ganhando semelhanças com pequenas grutas. 

A Primavera fica a 2 km de Lençóis, no Parque da Muritiba, e tem acesso fácil a pé pela trilha que leva ao Serrano. A força da água na cachoeira é tranquila para aproveitar sob a cascata. A tonalidade escura, porém, pode causar estranhamento à primeira vista, mas o receio pode ser eliminado, porque a água é extremamente limpa e o tom escuro é resultado da presença natural de matéria orgânica, como folhas e galhos. 

Cachora da Primavera (foto/Tripadvisor e Google Maps/divulgação)

Depois do banho, a trilha segue até chegar no mirante de Lençóis e no retorno ainda tem uma parada na Cachoeirinha. O percurso básico dentro do Parque ainda oferece poços de água com hidromassagem natural, outras cachoeiras, mirante e belas formações geológicas.

➨ Como chegar: saindo do centro da cidade, leva-se em torno de meia hora para acessar a primeira via de escalada.
 

5. Cachoeira dos Prazeres | Em Jiquiriçá

A mais indicada da lista para levar as crianças é a Cachoeira dos Prazeres, que dispõe de piscina natural e fica localizada dentro do hotel Vale do Jiquiriçá. A diversão para a criançada é garantida devido ao baixo nível das águas.

O local foi interditado após a restrição aplicada à presença de atividade comercial. Para um melhor cuidado com o meio ambiente, não é possível encontrar restaurantes ou barracas nos entornos. Ainda assim, a cachoeira de fácil acesso, ainda costuma receber visitantes que acabam fazendo churrascos e talvez "festas" no espaço.

Cachoeira dos Prazeres (foto/Tripadvisor/divulgação)

A riqueza ambiental dada em um recorte de Mata Atlântica faz valer à pena o banho ou mesmo uma visita para registrar as belas imagens.

➨ Como chegar: Loteamento dos Prazeres, Jiquiriçá, 45470-000 (direto do hotel).

 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas