5 ilhas paradisíacas e nada óbvias para conhecer pela Bahia

vanessa brunt
31.07.2019, 15:35:25
Atualizado: 06.07.2020, 02:11:14

5 ilhas paradisíacas e nada óbvias para conhecer pela Bahia


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Além das praias e opções culturais diversas da capital, a Bahia é recheada de ilhas que conseguem atender as vontades de diferentes públicos. Das cheias de festas e eventos até aquelas que são mais tranquilas, as ilhas paradisíacas vão para muito além das já famosas.

Boipeba, Itaparica, Mar Grande e Frades são quatro das mais conhecidas pelos turistas e baianos, mas existem opções para fugir dos clichês e descobrir outras belezas e roteiros. Para quem deseja uma fuga da vida urbana, separei para a nossa coluna de todas as quartas-feiras uma lista especial com várias dessas ilhas nada óbvias.

Algumas são apenas para conhecer através de passeios que duram um dia e outras são feitas para receber hóspedes à vontade. E ainda tem mais! Até ilha privada que só aceita festas de casamento e grandes eventos entrou no compilado como curiosidade. Confira:

1. Ilha dos Aquários | @ilhadosaquarios

Opção para quem quer algo mais badalado, a Ilha dos Aquários está imersa em meio aos Manguezais de Porto Seguro e é também chamada de Ilha do Pacuio, nome de origem indígena que significa solteiro no dialeto Pataxó. É possível que os índios tenham dado esse nome para caracterizá-la de forma diferenciada, uma vez que ela é a única que abriga uma restinga costeira na foz do rio Buranhem.

Ilha dos Aquários (foto/ divulgação/www.ilhadosaquarios.com.br_galeria)

Para quem deseja conhecer a Ilha, o ideal é estar hospedado(a) no Arraial d'Ajuda e de lá contratar uma das embarcações para fazer o passeio. Durante a noite, o local reserva diferentes eventos. Sempre com uma festa pronta para receber os visitantes, o espaço conta também com programações feitas para toda a família, como apresentações circenses, mágicos e shows interativos.

Os turistas que desejam conhecer a Ilha durante o dia podem também realizar uma visita guiada, que dura em torno de 2h30, sendo disponibilizado o passeio pelos aquários, contando com palestras de diversos temas e observação da fauna em meio a uma trilha na restinga. 

O local, que ainda conta com praças diversas, também recebe casamentos e outras festas. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone ou e-mail para fechar um orçamento.

➨ Contatos: (73) 3268-2828 | contato@ilhadosaquarios.com.br
➨ Como chegar: 10 minutos de barco via Porto Seguro.
➨ Preço da entrada: R$ 75 (pode ser adquirido em qualquer hotel de Porto Seguro, no local ou nas embarcações).
➨ Hospedagem ou passeio? É uma ilha para visitar e não para se hospedar.
➨ Dias de funcionamento: todas as sextas-feiras, com festa a partir de 18h. Pode abrir em outros dias da semana, com divulgação prévia nas redes sociais.
Site oficial

2. As cinco ilhas da Baía de Camamu

Para quem quer turistar por um dia em várias ilhas e tirar fotos incríveis, a dica está na terceira maior baía do Brasil em volume de águas, a Baía de Camamu, que fica atrás somente das baías de Todos os Santos e de Guanabara. Além de praias, florestas e manguezais, ela abriga diversas ilhas de variados tamanhos. Algumas das ilhas mais famosas e livres para as entradas de turistas podem ser conhecidas através do Passeio das Cinco Ilhas, saindo de Barra Grande ou de Camamu.

Para fazer o tour, que dura 6h no total, basta fechar um pacote em qualquer empresa de lanchas, escunas ou barcos, que ficam espalhadas por Barra Grande (o mesmo pode ser feito em Camamu).

foto/Vanessa Brunt
(fotos de vanessa Brunt/divulgação)

A Ilha da Pedra Furada é a única privada das cinco e custa R$ 5 para uma estadia de 40 minutos. O nome já diz muito: ali, estão diversas pedras com buracos, que deixam vistas emolduradas de um lado para o outro, gerando vários cliques criativos dos turistas. 

As pedras acumulam flores de diversas cores nas suas superfícies e o espaço possui praias com águas cristalinas e tranquilas (saiba mais aqui https://www.instagram.com/p/BwxoerFFj-A/). Dentro da ilha, um balanço brinca em meios às árvores. O mesmo acontece na Ilha do Goió, outra parada. Lá, os turistas costumam dar pulos das embarcações para o mar e logo depois vão para a Ilha do Sapinho, onde param em um restaurante.

A Ilha Grande e a de Campinho são as outras duas do roteiro, mas todo o passeio não chega a mostrar a Baía completa, então para saber mais sobre as outras ilhas, basta acessar o site oficial de Barra Grande e conferir mais opções.

➨ Como chegar: 6h de passio completo indo de barco, escuna ou lancha, saindo de Barra Grande ou de Camamu.
➨ Preço da entrada: R$ 50 para o passeio + R$ 5 para a Ilha da Pedra Furada.
➨ Hospedagem ou passeio? São ilhas para visitar e não para se hospedar.
➨ Dias de funcionamento: depende do pacote fechado com a empresa de escuna, barco ou lancha.
Site oficial 

3. Ilha de Maria Guarda

A Ilha de Maria Guarda é a melhor opção para quem fugir da vida urbana e curtir um ambiente mais tranquilizante. Pertencente ao município de Madre de Deus, a ilha é elogiada pelos nativos receptivos e pela culinária. Além disso, é possível sair do local e criar um roteiro para conhecer as ilhas e praias próximas. Uma das dicas é ir até Ponta do Navio ou até mesmo dar uma volta pela ilha das Vacas.

Para quem quer curtir um passeio de barco, na região também existem barqueiros que levam para pontos próximos no horário de ida e volta que for acertado. Para aproveitar dentro da própria ilha, algumas dicas são andar de caiaque ou de bicileta curtindo e registrando as paisagens simples e poéticas.

Ilha de Maria Guarda (foto/reprodução @entreasilhas)

Alternativa econômica: entre as ilhas, Maria Guarda oferece a opção mais barata de hospedagem. A @p.pordosol é a pousada mais famosa da região, oferecendo simplicidade, aconchego e café da manhã. É a única pousada da ilha que tem uma paisagem privilegiada de frente para o mar. 

➨ Como chegar: no terminal marítimo de Madre de Deus. Dura em média 15 minutos até a chegada. 
➨ Preço da entrada: a travessia custa R$ 4 + R$ 0,90 de taxa de embarque.
➨ Hospedagem ou passeio? Serve para se hospedar e curtir outras ilhas ao redor.
➨ Dias de funcionamento: qualquer dia da semana.

4. Ilha do Topete

Privada, a ilha do Topete é a única ilha existente no município de Candeias e possui mais de 16 mil metros quadrados. Conhecida também como Ilha Refúgio das Garças, o local pertence ao empresário baiano Eduardo Valente.

Apesar de não ser liberada para a entrada de qualquer pessoa, existe uma área de eventos para shows e atrações no local. Além dos casamentos que podem ser realizados na ilha, o próprio dono realiza festas especiais, sendo algumas com vendas de ingressos liberadas para o público e outra fechadas para as presenças de artistas ou figuras públicas. 

Ilha do Topete (foto/reprodução/site Candeias Bahia)

Para quem pensa em realizar uma cerimônia na Ilha do Topete e depois dormir por lá, o valor mínimo (quando há a possibilidade da hospedagem) é de R$ 10 mil por noite.

Uma das festas costumeiras na região é a do Yacht Brasil da Bahia, de onde o dono da ilha é representante. O evento conta com palestras e com a presença de 500 a 600 convidados, com o intuito de levar a consciência ambiental para os presentes.

➨ Como chegar: com embarcações/lanchas próprias (fica dentro do município de Candeias).
➨ Preço da entrada: orçamento somente para festas/casamentos. É necessário verificar se o dono do local está permitindo os eventos atualmente.
➨ Hospedagem ou passeio? É uma ilha para fazer eventos e não para hospedagem liberada.
➨ Dias de funcionamento: depende do contato com o dono do local.

5. Arquipélago de Abrolhos 

Para quem quer curtir mergulhos e águas cristalinas, o arquipélago dos Abrolhos, localizado no município de Caravelas (no litoral sul da Bahia), é a pedida ideal para explorar a fauna e os corais. Cinco ilhas vulcânicas formam o local, que é repleto de piscinas naturais, sendo casa de tartarugas e baleias. O espetáculo fica por conta das Baleias Jubarte, que se exibem em saltos e piruetas. 

As ilhas do arquipélago são: Ilha de Santa Bárbara (única habitada, sob controle da Marinha do Brasil), Ilha Siriba, Ilha Redonda, Ilha Sueste e Ilha Guarita. De todas, somente a Ilha Siriba é aberta à visitação e de forma totalmente programada e monitorada. 

Apesar de somente uma ilha ser aberta para o público, a dica principal é ir até o Parque Nacional Marinho de Abrolhos, onde as tartarugas desovam. Monitorados pelo Ibama e pelo Instituto Baleia Jubarte, o Parque recebe mais de 15 mil visitantes por ano.

Agências de turismo fornecem máscara, snorkel e nadadeiras para mergulho no Parque e é possível agendar com catamarãs ou barcos credenciados pelo Instituto Chico Mendes – únicos que podem realizar a visita.

➨ Contatos: Catamarã Horizonte Aberto, (73) 3297-1474 | Catamarã Sanuk, (73) 3297-1344.
➨ Como chegar: de catamarã, saindo de Caravelas.
➨ Preço da entrada: R$ 360 por dia + taxa do Ibama (R$ 27). 
➨ Hospedagem ou passeio? O local é apenas para um dia de visitação. O ideal é se hospedar é Caravelas.
➨ Dias de funcionamento: verificar pacotes com os catamarãs.
Site oficial com fotos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas