A revolução blockchain

artigo
03.05.2022, 05:00:00

A revolução blockchain

Com certeza você já escutou falar sobre muita gente ficando rica com bitcoin; das pessoas que caíram no golpe do 'faraó dos bitcoins'; ou do NFT Everydays vendido por US$ 69,3 milhões. Tudo isso graças à tecnologia blockchain que estabeleceu um novo marco para a internet, e para o mundo dos negócios. Mas, cryptomoedas e NFTs são apenas distrações diante das possibilidades trazidas por esta tecnologia.

Blockchain é tão disruptiva quanto a máquina de impressão tipográfica na década de 1430, e tem o potencial de balançar ou até mesmo substituir instituições que são a base do cenário político e econômico atual.

A valorização do bitcoin e a explosão dos NFTs chamaram a atenção de executivos de todo o mundo, que não só mantêm o bitcoin como ativo, mas também usam o blockchain para realizar tarefas como compensar faturas e verificar a procedência de produtos. E isso se tornou um movimento global que, segundo o Fórum Econômico Mundial, será o coração pulsante das Finanças em cinco anos.

O blockchain pode transformar não apenas cada setor da economia, mas principalmente a própria Internet, tornando-a mais inclusiva e produtiva. Na tecnologia blockchain, ao ser decentralizada, não existe um órgão regulador que autoriza as pessoas a participarem (é Permissionless), eliminando a discriminação. As transações são “Trustless” (não precisa de confiança mútua) eliminando a necessidade de intermediários. 

Os algoritmos realizam as transações automaticamente, "Peer-to-peer" através de contratos inteligentes que definem as regras para executar e registrar transações no blockchain. Tudo fica registrado numa rede aberta e Imutável, tornando o blockchain Incorrompível e transparente. Ao mesmo tempo, as partes permanecem anônimas.

Além disso, a tecnologia blockchain traz a possibilidade de criar ativos digitais, não só domínio (“Decentralized ownership”); a Interoperabilidade entre diferentes Apps; a possibilidade de checar proveniência e legitimidade de ativos; é praticamente sem custos, pois não há taxas de terceiros. E tudo isso traz mais eficiência para qualquer tipo de transação.

Os contratos inteligentes oferecem possibilidades ilimitadas na próxima década, mas começarão como aplicativos simples, abordando casos de uso específicos que não são bem atendidos por advogados caros ou instituições financeiras tradicionais, como bancos.

Segundo o Fórum Econômico Mundial em 2025, 10% do PIB global será armazenado em blockchain. É uma mudança enorme, mas ainda poucos executivos, empresários e até gestores públicos enxergam as consequências da adoção massiva da tecnologia blockchain para as organizações. E você já se perguntou quais são as implicações, da adoção massiva do blockchain, para a sua organização?


Luis Gaban é diretor de inovação da prefeitura de Salvador. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas