Acidente de carro mata 5 jovens no Rio: 'Todo mundo bêbado'

brasil
08.12.2019, 18:24:00
Atualizado: 08.12.2019, 18:25:05
Carro bateu em muro (Reprodução/TV Globo)

Acidente de carro mata 5 jovens no Rio: 'Todo mundo bêbado'

Perto de uma curva, "motorista foi fazer graça", relembra sobrevivente

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um carro de passeio que estava com oito pessoas bateu em um muro no Rio de Janeiro na manhã deste domingo (8), matando cinco deles no momento do choque.

Segundo o G1 RJ, o acidenteceu na saída 2 da Linha Amarela, or volta das 6h. O carro vinha de uma festa na Barra da Tijuca e seguia para o Méier. Na Rua Ramiro Magalhães, contudo, aconteceu o acidente. 

Os outros três passageiros sobreviveram foram levados ao Hospital Salgado Filho, onde foram atendidos e já receberam alta. 

Morreram na batida o motorista, um rapaz de 20 anos identificado como Alex; Guilherme Moreira, 20; Italo Ribeiro, 21; Juan Carlos, 24 e Taisa Castro, 21. Ficaram feridos Douglas Silva, 21; Juliana Oliveira, 25 e Tamires Carneiro, 20.

Tamires foi uma das sobreviventes (Foto: Reprodução/TV Globo)

À Globo, a sobrevivente Tamires afirmou que todos os ocupantes do carro tinham ingerido álcool na festa e estavam bêbados. Ela, o namorado, o irmão dele e amigos estavam no Espaço Hall. O namorado e o cunhado da jovem morreram na batida.

"Quando terminou a festa, tinha oito pessoas. Um estava com carro. Pedi para o meu namorado para a gente não ir de carro. Estava todo mundo bêbado”, diz.

Ela diz que tentou pedir um carro por app, mas o namorado não queria se separar do irmão. “A gente estava com dinheiro, podia pegar um Uber, um 99, um táxi, qualquer coisa, para ir para casa. Só que o irmão dele estava lá, e ele não queria deixar o irmão dele... aí nós fomos”, conta.

Nas proximidades da curva, o motorista "foi fazer graça" relembra. “Só que o menino, na curva, foi fazer graça. A gente falou para ele não acelerar. Ele acelerou o carro, virou na esquina, freou. Dois perderam a cabeça, o resto morreu, só sobramos eu e mais dois”, disse, em meio às lágrimas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas