Acusado de estupro por turista espanhola tem prisão preventiva revogada

bahia
03.09.2021, 22:32:00
Atualizado: 03.09.2021, 23:09:59
(Leitor CORREIO)

Acusado de estupro por turista espanhola tem prisão preventiva revogada

CORREIO teve acesso ao alvará de soltura e ao laudo pericial

O homem de 21 anos preso em agosto acusado de estuprar uma turista espanhola no distrito de Caraíva, em Porto Seguro, na madrugada do dia 25 de julho, teve prisão preventiva revogada na tarde de quinta-feira (2). O processo corria em sigilo na Justiça, mas o CORREIO teve acesso exclusivo ao alvará de soltura, além de documentos como o laudo pericial emitido pelo Tribunal de Justiça da Bahia e o laudo pericial do Instituto Médico Legal (IML), que apontam resultado negativo para a presença de espermatozóide na amostra colhida e para conjunção carnal.

As informações foram confirmadas pela Polícia Civil. De acordo com o orgão, o resultado da perícia não sustentou a configuração de crime de estupro. Segundo consta no alvára de soltura, em sede policial, a vítima declarou que o motorista teria realizado coito vaginal, sem utilização de preservativo e "ejaculado dentro da vagina da declarante". Por isso, "o resultado do exame pericial realizado no material colhido afeta a própria existência do fato em apuração", aponta o documento.

O homem, que esteve 29 dias em prisão temporária concedida pelo Poder Judiciário, para ser investigado, também passou por exames de lesões antes de ser liberado. O suspeito preso é indígena e foi preso na aldeia Xandó, que fica em Caraíva, por agentes da 23ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin).

O que também teria contribuído para a soltura do acusado foram análises das imagens de câmeras de uma pousada da região, que capturou o tempo de traslado da carona que o sujeito, identificado como Parajuí, deu à turista, que alega que o estupro teria acontecido durante esse tempo. De acordo com o vídeo enviado ao CORREIO, o tempo entre a ida e volta do quadriciclo teria durado cerca de 1 minuto e 40 segundos. A Polícia afirma que "o referencial tomado como base pelos investigadores apontou ausência de tempo hábil para a prática do crime conforme narrado pela comunicante".

A soltura de Parajuí foi motivo para grande comemoração na aldeia Xandó, em Caraíva. Uma das amigas próximas da família, Bruna Lee, afirma que o momento foi emocionante a todos os que conhecem o rapaz. "É um menino super amado por todos, pela família, trabalhador, um menino super humilde. Estamos em 2021 e eu me pergunto, até quando a palavra de um estrangeiro vai valer mais do que a de um índio? Não estamos mais em 1500", diz.

Relembre o caso

Em seu primeiro depoimento na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Porto Seguro, a vítima relatou que pegou a carona para o estacionamento Xandó e, ao chegar ao local, foi surpreendida pela presença de mais dois homens, em 25 de julho. Os três teriam abusado dela sexualmente. No dia 4 de agosto, Parajuí teve o mandado de prisão preventiva cumprido, e foi encaminhado para a sede da Coorpin, em Eunápolis.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas