Adolescente de São Paulo morre com suspeita de H1N1 em Porto Seguro

bahia
15.07.2019, 21:21:00
Atualizado: 15.07.2019, 21:38:17
(Divulgação/Sesab)

Adolescente de São Paulo morre com suspeita de H1N1 em Porto Seguro

Estudante estava em excursão com a escola na cidade

Uma turista natural de São Paulo morreu neste sábado (13), no Hospital Regional Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro, no sul da Bahia. A suspeita é que a adolescente de 17 anos, que não teve o nome divulgado, tenha sido vítima de H1N1.

Por meio de comunicado, a Prefeitura Municipal de Porto Seguro, através da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Seguro, informou que "a Vigilância em Saúde foi acionada sobre a suspeita de casos de Sindrome Respiratória Aguda Grave no município no dia 13/07/19".

Ainda segundo o documento, "a ocorrência de um óbito suspeito está em investigação, aguardando resultados de exames, não podendo ainda ser confirmado tal diagnóstico" e que "dois contatos diretos, suspeitos, estão hospitalizados e em uso de medicação própria". Os outros dos casos suspeitos estão no Hospital Deputado Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro.

Ainda no comunicado, a secretaria diz que outras duas pessoas que tiveram contato direto com a vítima estão internadas e que, conforme investigação epidemiológica, tratam-se de casos importados de outros estados - ou seja, elas já teriam chegado à Bahia com o vírus. Segundo a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), uma das pacientes é prima da adolescente que morreu.

O corpo da estudante foi encaminhado para São Paulo na noite de domingo (14), onde será sepultado. De acordo com a TV Bahia, a vítima estava em Porto Seguro para uma excursão com a turma da escola. A empresa responsável pelo passeio, Forma Turismo, lamentou o episódio em nota e disse que "está cooperando com as autoridades locais e prestando todo suporte à família da estudante".

Ainda segundo a Sesab, o material da adolescente que morreu já foi colhido e passará por análise no Laboratório Central (Lacen), onde haverá a confirmação da causa do óbito. 

Balanço
De acordo com o último balanço da Sesab, até 9 de julho foram notificadas 61 mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) - 20 por Influenza, quatro por outros vírus respiratórios, 28 casos sem identificação do vírus e outros nove ainda em investigação. Ano passado, no mesmo período, foram 154 mortes.

O relatório mostra que foram 1.132 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) até 9 de julho. Os números representam uma redução de 31,64% em relação ao mesmo período do ano passado. Desse total, 137 casos foram confirmados para Influenza, 160 por outros vírus respiratórios e 6 por outros agentes etiológicos. A Sesab informou ainda que 389 amostras tiveram resultado negativo e 440 ainda estão em investigação.

O balanço aponta ainda que, dos 137 casos confirmados para Influenza, 46 foram ocasionados pelo víírus Influenza A H1N1, 70 pelo Influenza A H3N2 Sazonal, 4 Influenza A não subtipável e 17 por Inluenza B. Foram identificados outros vírus respiratórios

Medidas
De acordo com a Prefietura de Porto Seguro, após a identificação do caso suspeito de H1N1, o órgão adotou as seguintes medidas:

  • Coleta de material para análise laboratorial;

  • Iniciado imediatamente o tratamento com o medicamento Tamiflu após a suspeita clínica, independentemente da coleta de material para análise laboratorial;

  • Isolamento dos casos suspeitos;

  • Vigilância ativa e notificação imediata de adoecimento, com sinais e sintomas;

  • Alerta às equipes das unidades de saúde, incluindo as equipes da Vigilância Epidemiológica Hospitalar, quanto à vigilância de casos suspeitos, atentando para a notificação;

  • Especial atenção para pacientes suspeitos e com histórias de deslocamento para áreas com casos confirmados e contato com outros pacientes doentes;

  • Intensificação das ações de educação, informação e comunicação em saúde.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas