Alba faz homenagem póstuma ao deputado Luís Eduardo Magalhães

salvador
18.04.2018, 15:45:00
Atualizado: 18.04.2018, 17:24:59

Alba faz homenagem póstuma ao deputado Luís Eduardo Magalhães

Familiares e amigos participaram de sessão especial que lembrou 20 anos de morte

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Evandro Veiga/CORREIO

Para lembrar das memórias e do legado do deputado Luís Eduardo Magalhães, político baiano que faleceu há 20 anos, a Assembleia Legistativa da Bahia (Alba) realizou uma sessão especial, no plenário da casa, na manhã desta quarta-feira (18). A sessão foi aberta com a exibição de um vídeo que mostrou parte da trajetória política do deputado, que era pré-candidato ao governo da Bahia. A filmagem apresentou ainda depoimentos de familiares e amigos sobre as memórias de Luís Eduardo.

Proponente da sessão, o deputado Adolfo Viana Filho (PSDB) abriu os discursos. "A casa aprovou essa sessão com unanimidade, porque é uma justíssima homenagem ao deputado que se foi, mas deixou uma saudade imensa. Ele deixou também um grande exemplo pra nossa geracão de políticos, principalmente para aqueles que querem fazer um bom trabalho. Luís fez muito pelo nosso estado e pelo nosso país. Um grande filho da Bahia", afirmou Viana. Luís Eduardo, inclusive, dá nome ao palácio onde funciona o plenário da Alba.

(Evandro Veiga/CORREIO)
(Evandro Veiga/CORREIO)
(Evandro Veiga/CORREIO)
(Evandro Veiga/CORREIO)
(Evandro Veiga/CORREIO)
(Evandro Veiga/CORREIO)
(Evandro Veiga/CORREIO)
(Evandro Veiga/CORREIO)
(Evandro Veiga/CORREIO)
(Evandro Veiga/CORREIO)

Irmão do homenageado, o presidente da Rede Bahia, Antonio Carlos Júnior, falou sobre a vida política do deputado. "A gente sente um vazio com a perda, porque o destino foi traiçoeiro e nos tirou um político brilhante. Eu não teria dúvida de que ele seria eleito em 2002 (para o Governo do Estado). Luís Eduardo foi um grande político, amigo e irmão", declarou. 

Na ocasião, a viúva de Luís Eduardo, Michelle Magalhães, relembrou de traços da personalidade do ex-companheiro. "Um grande homem que se foi, mas deixou grandes marcas. A marca maior que ele deixou foi a palavra. Todos falam isso. São 20 anos de saudade, mas é uma saudade orgulhosa", afirmou ela.

A jornalista Paula Magalhães, filha do deputado e editora do caderno Bazar do CORREIO, lembrou do pai com saudades. "Na época foi um golpe duplo pra mim, porque eu perdi meu ídolo, que era ele como pai. E como cidadã, perdi as esperanças, pois eu sabia dos ideais que ele tinha para o Brasil. Mas hoje, 20 anos, eu fico muito orgulhosa de ser filha de Luís Eduardo", disse.

Também filho do deputado, Luís Eduardo Magalhães Júnior, vice-presidente da Rede Bahia, encerrou a sessão, discursando em nome da família. "Meu pai nunca será esquecido por nós, principalmente, por causa da família sólida que ele deixou. Ele foi capaz de exercer uma excelente liderança política. Me sinto privilegiado de ser filho de Luís Eduardo. Ele sempre será uma saudade e, sobretudo, um exemplo de homem e de pai", declarou.

Participaram da sessão, ainda, outros familiares, a exemplo de Renata de Magalhães Correia, acionista do CORREIO, parlamentares e amigos da familia.

Essa foi apenas uma das homenagens ao deputado para relembrar as duas décadas de seu falecimento. Na próxima sexta-feira (20), uma missa será celebrada em memória de Luís Eduardo, às 9h, no Mosteiro de São Bento, na Avenida Sete de Setembro. Está prevista ainda uma sessão solene na Câmara dos Deputados, em Brasília, no dia 25, às 9h. Depois da sessão, será aberta, no salão nobre da Câmara, uma exposição de fotos e acontecerá o lançamento de uma publicação sobre o deputado.

Vida política 
Parlamentares que estiveram na sessão lembraram de Luís Eduardo com admiração, como o deputado estadual Pablo Barroso (DEM). "Ele sabia dialogar com todos e ter uma posição. O que toca no meu coração em relação a Luís é a capacidade que ele tinha de juntar as correntes políticas e uní-las em prol de uma Bahia melhor e de um Brasil melhor. Ele é um exemplo de vida política e pública", afirmou.  

Líder da oposição, o deputado Luciano Ribeiro (DEM) também falou sobre o ex-deputado. "Ele foi, sem dúvidas, o maior político da sua geração. Sempre teve posturas muitos firmes e corajosas em defesa daquilo que ele acreditava. Acredito que a perda de Luís Eduardo foi enorme não só para a Bahia, como para o Brasil", comentou.

Legado
Nascido em Salvador e formado em Direito pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), Luís Eduardo Magalhães ingressou na carreira política em 1973, quando tinha 18 anos, como Oficial de Gabinete do Governador do Estado da Bahia, cargo ocupado por seu pai, Antonio Carlos Magalhães.

Em 1975, Luís Eduardo se tornaria Chefe de Gabinete do Primeiro-Secretário da Assembleia Legislativa da Bahia, permanecendo na função até 1979, quando saiu candidato a deputado estadual, com apenas 23 anos.

Ocupou o posto de deputado estadual por dois mandatos consecutivos, sendo eleito presidente da Assembleia Legislativa da Bahia. Em 1987, foi eleito deputado federal, exercendo também a função de presidente da Câmara entre 1995 e 1997.

Naquele ano, Luís Eduardo era considerado o pré-candidato favorito ao governo da Bahia, nas eleições que aconteceriam em outubro. Além disso, era apontado dentro do então Partido da Frente Liberal (PFL) como o principal concorrente à Presidência da República, na eleição de 2002.

O político era casado com Michelle Marie Magalhães, com quem teve três filhos, Carolina Magalhães, que também esteve no ato na Alba, Paula Magalhães e Luís Eduardo Magalhães Filho. No âmbito pessoal, o deputado era conhecido por ser um apreciador refinado de música, literatura e filmes, além de ter sido um fã declarado dos escritores Jorge Amado e João Ubaldo Ribeiro, conhecidos internacionalmente por escrever as belezas e costumes da Bahia.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas