Albinos da Ilha de Maré vão ganhar ponto de distribuição de protetor solar

estúdio correio
29.01.2021, 06:00:00
Atualizado: 29.01.2021, 12:43:34
(Foto: Shutterstock)

Albinos da Ilha de Maré vão ganhar ponto de distribuição de protetor solar

Iniciativa da Prefeitura visa melhorar o acesso gratuito ao produto

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em um dia normal de Verão, a primeira atividade na rotina da estudante Angélica Simões é passar protetor solar no corpo. Moradora da Ilha de Maré, para ela o produto não é apenas uma prevenção contra os raios solares, mas um item indispensável para sua saúde, já que ela possui albinismo, condição causada pela deficiência na produção de melanina. “Busco ter uma vida mais próxima do normal, mas além do protetor, em qualquer momento que eu precise sair de casa, tenho que levar uma sombrinha para evitar a exposição ao sol”, explica.  

Segundo especialistas, a causa do albinismo é uma mutação genética. Esse quadro pode resultar na ausência total de melanina ou em uma diminuição significativa na quantidade do pigmento produzido pelo corpo, desencadeando os sinais e sintomas da doença. A principal complicação clínica do albinismo é o câncer de pele. Normalmente, quanto menor a produção de melanina gerada pelo corpo, mais altas são as chances de uma pessoa desenvolver este tipo de problema.  

Na Ilha de Maré, Angélica e o irmão José Carlos, que também possui albinismo, não são casos isolados. Um estudo realizado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) revelou que por lá há frequência de um caso para cada mil pessoas. Para se ter noção, a incidência do albinismo em uma pessoa para 10 mil já é considerada alta, fazendo de lá o local com maior concentração de portadores do quadro em Salvador.  

Angélica é albina e vive na Ilha de Maré (Foto: Angeluci Figueiredo/Arquivo Correio)

O entendimento sobre a importância de se proteger do sol, porém, nem sempre foi uma realidade e para uma população que tem como principal atividade econômica a pesca e a mariscagem, manter a pele 100% protegida é uma missão desafiadora. “Os cuidados são fundamentais. Tenho marcas na pele, pois quando era criança costumava brincar na maré e a pele começava a ficar ressecada ou com bolhas”, relata. “Por muito tempo tivemos dificuldade para conseguir o protetor solar e, por vezes, dependíamos das pessoas que vinham de Salvador ou Candeias e traziam para distribuir como doação”, explica.   

Proteção garantida  
Desde 2015, a Prefeitura de Salvador criou um programa que visa disponibilizar o protetor solar fator 50 para os albinos – além de pessoas com lúpus –, através da Secretaria Municipal de Saúde. De acordo com a pasta, atualmente cerca de 1 mil pessoas estão cadastradas para receber esse benefício. Cada beneficiário pode retirar um total mensal de oito protetores para adultos e quatro para crianças, porém, no período da pandemia, essa regra foi flexibilizada.

“Em 2020, por conta da pandemia do novo coronavírus, autorizamos de maneira excepcional a dispensação de protetor solar para dois meses de tratamento”, explica o secretário Leo Prates. “Tomamos essa medida para a diminuição da circulação do fluxo de pessoas nas farmácias de rede Municipal de Saúde de Salvador”, completa.  

Para ter acesso ao protetor solar, o cidadão deve fazer o cadastro na sede da SMS, no Comércio. O produto é disponibilizado durante todo o ano e pode ser retirado na Unidade Básica de Saúde Carlos Gomes, no Centro. Porém, entendendo a dificuldade de deslocamento dos moradores da Ilha de Maré, o secretário Leo Prates informou que, em breve, eles ganharão um posto de distribuição mais próximo de casa.

“Por conta da especificidade da Ilha de Maré, quanto à logística de transporte dos usuários, estamos organizando um novo fluxo de distribuição de protetor solar mais próximo. Dessa forma, as pessoas com albinismo poderão retirar os protetores na própria Ilha de Maré”, informa o secretário.  

Cuidados com o sol  
Protetor – O autocuidado é a principal forma de evitar que o albinismo venha desenvolver complicação como o temido câncer de pele. Nessa função, o protetor solar é um grande aliado. Especialistas indicam o fator de proteção solar 60.  

Roupas – Também é indicado o uso de roupas compridas, que cubram regiões normalmente expostas ao sol. Atualmente, os trajes com proteção contra raios UVA e UVB podem ser uma boa alternativa, além de óculos escuros que contenham proteção.  

Serviço  
Para ter acesso ao protetor solar, o cidadão deve fazer o cadastro na sede da SMS, na Rua da Grécia, 3, Comércio, apresentando relatório médico, receita, identidade, comprovante de endereço e cartão do SUS. O produto é disponibilizado durante todo o ano e pode ser retirado na Unidade Básica de Saúde Carlos Gomes, localizado na Rua Carlos Gomes, 270 (próximo ao Clube de Engenharia), de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, no quantitativo mensal de oito protetores para adultos e quatro para crianças.  

Sou Verão
Quer saber mais sobre o assunto? Um vídeo especial pode ser conferido no Instagram do CORREIO: @correio24horas. Feito pela apresentadora Mayara Padrão (@mayarapadrao), faz parte do projeto Sou Verão, que nos meses de dezembro de 2020 e janeiro de 2021 vem trazendo conteúdos esportivos e de cuidados com a saúde. 

O Sou Verão, projeto realizado pelo Correio, tem o apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas