Ansioso por estreia, Ramires se diz mais experiente após Seleção

e.c. bahia
15.02.2019, 18:29:00
Ramires voltou aos treinos, mas não tem presença garantida contra o Vitória da Conquista (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Ansioso por estreia, Ramires se diz mais experiente após Seleção

De volta aos treinos, camisa 10 afirmou que está pronto para estrear pelo tricolor

O Bahia pode ter um reforço importante na partida contra o Vitória da Conquista, neste domingo (17), às 17h, no estádio Lomanto Júnior. De volta ao tricolor após disputar o Sul-Americano sub 20 com a Seleção Brasileira, o meia Ramires pode pintar na equipe que encara o Bode.Em entrevista na tarde desta sexta-feira (15), no Fazendão, o meia, que agora usa a camisa 10, afirmou que não vê a hora de fazer estreia na temporada pelo tricolor.

"Estou bem animado para voltar ao time. Peguei dois dias de folga. Voltei terça e só me reapresentei quinta-feira. Estou bem, agora vou conversar com preparador físico para ver o que ele tem a dizer, se posso atuar nesse jogo, mas eu estou aí. Estou esperando uma oportunidade", disse o meia.

A expectativa é de que o Bahia atue com o time B em Vitória da Conquista. Por isso, Ramires afirmou que vai conversar com Enderson Moreira para saber se vai viajar para o interior do estado. Na sequência, o tricolor vai encarar o Liverpool-URU, no dia 21, pelo jogo da volta da Copa Sul-Americana. A partida será em Montevidéu.

Experiência
Ao iniciar a sua segunda temporada como jogador profissional, Ramires garante que está mais experiente. Ele comemorou a passagem pela Seleção Brasileira, apesar do resultado ruim dentro de campo – o Brasil não conseguiu classificação para o Mundial da categoria e para os Jogos Pan-Americanos.

O meia tricolor revelou ainda conversas constantes com Carlos Amadeu, técnico da Seleção.  “Foi uma sensação muito boa. Infelizmente os resultados não vieram e não conseguimos alcançar nosso objetivo que era ser campeão e também ser classificado para o mundial. Foi muito bom ser convocado e também eu pude trabalhar com jogadores da minha idade, de diversos clubes”, disse.

“Ele (Carlos Amadeu) sempre conversava comigo antes dos jogos, perguntava onde eu gostava de atuar e eu falava que, aqui no Bahia, já atuei de ponta esquerda, ponta direita, médio, atacante. Ele sempre falava se eu gostava se eu gostava e tal. Eu falava que ele poderia me colocar, porque daria o meu melhor sempre. Pude jogar em diversas posições lá”, finalizou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas