Aos 74 anos, ex-bancário se forma em Direito e quer fazer carreira como advogado: “o céu é o limite” 

especiais patrocinados
14.06.2021, 06:00:00
Jehovah Pina Amarante colou grau em 12 de maio desse ano (Fotos: divulgação)
Estúdio Correio -

Aos 74 anos, ex-bancário se forma em Direito e quer fazer carreira como advogado: “o céu é o limite” 

Depois de conquistar o diploma, Jehovah Amarante e se prepara para prestar o exame da OAB

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Há quem mire na aposentadoria como o momento ideal para descansar e se afastar das rotinas agitadas e repleta de compromissos, mas com o aumento da expectativa de vida dos brasileiros, esse cenário tem mudado cada vez mais. Encontrando um novo gás na chamada terceira idade para adquirir novas habilidades e expandir os conhecimentos, algumas pessoas vão além, achando nesta fase da vida estímulo para encarar novos desafios e mudar completamente o rumo da carreira. 

Este é o caso de Jehovah Pina Amarante, 74 anos completos em março, que voltou a estudar há cinco anos, conquistando, no segundo semestre de 2020, o diploma de bacharel em Direito. Sua colação de grau foi no mês passado, em 12 de maio. Depois de começar a trabalhar cedo, o ex-bancário não teve tempo para se dedicar aos estudos como gostaria. “Iniciei aos 15 anos, trabalhando no antigo Banco da Lavoura de Minas Gerais, que posteriormente se tornou Banco Real, e ao longo dos 33 anos que trabalhei lá fui de boy a gerente. Naquela época às coisas eram mais difíceis, trabalhávamos fins de semana, não tínhamos horário”, relata. 

Jehovah admite que é grato à carreira de bancário já que através dela conseguiu oferecer o melhor para a família que construiu com sua esposa, Dalva Souza. Porém, ao longo do tempo, ele precisou abrir mão de muitas coisas, inclusive do próprio tempo para se dedicar a projetos pessoais.  

Após a aposentadoria, com a agenda livre para iniciar novos planos e projetos, a ideia de iniciar uma nova graduação pegou familiares e amigos de surpresa. “Em 2015, resolvi prestar o ENEM e tive um bom desempenho. A partir daí decidi cursar Direito na Faculdade Batista Brasileira. As pessoas ficaram surpresas, mas eu segui em frente”, conta Jehovah, que também acabou se surpreendendo ao retomar os estudos. “De início pensei que minha bagagem de experiência profissional ia facilitar as coisas para mim, mas acabei tendo muita dificuldade no começo”, explica. 

Confrontado pelo novo desafio após tanto tempo longe das salas de aula, Jehovah encontrou muitos obstáculos e precisou de otimismo e dedicação para contorná-los. Segundo um dos seus filhos, Anderson Amarante, na reta final do curso, a chegada da pandemia fez com que seu pai precisasse se adaptar ao mundo digital para alcançar o objetivo.

“Longe dos filhos durante a pandemia, meu pai não desistiu, se adaptou às novas tecnologias para seguir as lições online e acabou concluindo o curso. Com certeza é um exemplo neste período de dificuldade para tantos brasileiros”_Anderson Amarante, filho de Jehovah

Motivação e metas
Quem pensa que Jehovah está satisfeito apenas com o diploma, se engana. Ao longo do curso, com a dedicação característica, ele traçou novas metas e já se organizou para os próximos passos no exercício do Direito.

“Estou me preparando para a prova da OAB. Sei que é difícil, mas nada é impossível. Farei quantas vezes forem necessárias. Eu quero advogar nas áreas cível e criminal. Quero ter a oportunidade de fazer a minha sustentação oral perante um júri. O céu é o limite”_Jehovah Pina Amarante

Morando nos Estados Unidos, André Amarante, também filho de Jehovah, afirma que, mesmo com a distância, os ensinamentos do pai o acompanham, servindo de bússola para a vida. “Meu pai dedicou uma vida inteira à família sendo um marido, pai e amigo exemplar. Hoje em dia, morando distante, não posso tê-lo ao meu lado fisicamente, mas ainda assim ele se faz presente no meu dia a dia. Ele tem sempre uma palavra positiva para nos falar ou um olhar otimista de cada acontecimento”, afirma André.

“Sua filosofia ao nos educar foi sempre através de exemplos com seu próprio comportamento e atitudes e, mais uma vez, ele traz uma quantidade enorme de ensinamentos para todos nós com a formatura aos 74 anos”_André Amarante, filho de Jehovah

Anderson compartilha o depoimento do irmão e aponta que, hoje, o aprendizado que teve com o pai ao longo da vida serve de guia para educar os próprios filhos. “Aprendi com ele a capacidade de dedicação a algo de interesse, de superar obstáculos com uma certa facilidade, a motivação no aprender novos conhecimentos, empatia com outros seres humanos, ser propositivo e cuidar da família, e muito mais. Lições que se levam para toda uma vida”, diz.

“Hoje, com 40 anos, tenho dois filhos aos quais dedico total atenção em relação à saúde, educação e psicologia. Posso afirmar que esta família é o fruto semeado durante a história de meu pai”_ Anderson Amarante, filho de Jehovah

Mesmo com relatos que poderiam denotar que a missão do mais novo advogado estaria cumprida, Jehovah segue mirando o compromisso com a família como motivação para criar novas metas, conquistar objetivos e oferecer exemplo a quem precisa. “Hoje, meus filhos são independentes e bem-sucedidos, mas, mesmo assim, continuo me sentindo com a responsabilidade de ser o porto seguro casos eles venham precisar”, reflete.

“Incentivo os meus netos e busco mostrar a todos que não há desafio para quem busca vencer e o conhecimento abre portas para quem quer uma vida melhor” _Jehovah Pina Amarante

Quem tiver interesse em conversar com Jehovah, tirar dúvidas sobre seu processo de estudo ou mesmo buscar inspiração, pode contatá-lo pelo e-mail: pinaamarante2021@hotmail.com.


O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas